BEUC #05 | Quando as coisas saem de controle

Eu me preparei para o BEUC, de verdade. Tinha as pautas de todos os posts até o final do mês e um bônus de 5 posts para o período de 25 à 30/12. Seria tudo lindo e incrível. Mas aí chegou a semana da convenção de vendas da empresa em que eu trabalho. E eu trabalho no marketing, caso não tenha contado até hoje. Então foi loucura a semana inteira, foi loucura o final de semana inteiro e o pós evento ~lê segunda, ontem e hoje~ também foi loucura!

Então, todo o meu planejamento saiu pela culatra, mas não vou desanimar! Tem muito BEUC ainda pela frente, vou tentar postar retroativamente nesse final de semana, para recuperar os conteúdos que acabei deixando pra trás e ter 30 posts ao final do projeto. Questão de honra, de verdade.

Tem dias que os posts são lindos, inspiradores, cheios de amor para dar e outros que nosso cantinho funciona mais como um diário de verdade. Nesses dias, lembro como eram meus primeiros blogs, dez anos atrás. Quando só contava sobre meus dias, desabafava onde achava ser um lugar seguro, livre dos olhos e julgamentos de pessoas que, na minha cabeça adolescente, não entendiam nada do que eu passava ou sentia. Confesso que sinto falta de quando tudo era simples assim.

 

RodapéAnimadoBEUC

Anúncios

BEUC #04 | Quando precisamos pensar mais em nós mesmos

Vocês já se sentiram assim? Achando que precisavam fazer mais por si mesmos. Se olharam no espelho e não gostaram do que viram, por mais que tivessem a consciência de que é preciso se amar e cuidar da auto-estima?

Há alguns dias me sinto dessa forma. E tudo fica pior quando lembro que tudo que preciso fazer depende só de mim, em todos os aspectos da minha vida. Parece que estou me dedicando pela metade em tudo que devo fazer e não me sinto inteira por causa disso.

Tem trabalho, tem os livros que quero ler e as séries que preciso assistir. Tem a atenção que quero dar pra minha família e amigos e aí no meio disso, lembro vagamente que preciso dar atenção para mim mesma. Euzinha. A única pessoa que pode fazer isso.

Então, tá na hora de pensar nessa pessoa. De novo. De tempos em tempos eu tento melhorar, tento me cuidar, procuro o que me incentiva a isso e vou fundo. Queria aprender a fazer isso de forma contínua, de estar em sempre em primeiro lugar e sei que são coisas pequenas que me mantém nesse lugarzinho feliz. Quero me encontrar. Eu sei que vou.

RodapéAnimadoBEUC

 

BEUC #03 | As séries que estou assistindo atualmente

Já faz um bom tempo que quero falar sobre as séries que estou assistindo, mas o problema é que eu tenho o péssimo hábito de fazer uma maratona louca nas primeiras temporadas de séries que me prendem e depois esquecer de continuar, ou deixar para depois e iniciar novas séries no caminho. Quem nunca, não é mesmo? É praticamente a mesma coisa que faço com livros, me comprometo a ler todos os que tenho antes de sair por aí adquirindo novos e quando vejo, pá! Black Friday.

Deixando o lenga-lenga de lado, vou citar abaixo séries que comecei e estou acompanhando e outras que parei, mas pretendo retomar. Inclusive, fica essa dica para uma sessão no seu Bullet Journal 2018, caso vá fazer (e que já está no meu): catalogar e fazer o acompanhamento das séries que você está assistindo.

  1. Grey’s Anatomy: rainha da minha vida, melhor série, não me canso nunca! Melhores dramas, melhores personagens, melhores crushes. Percebam minha imparcialidade, rs.
  2. Supernatural: amo há anos, já fiz maratonas, parei de assistir quando ficou cansativa ~lê sexta e sétima temporadas~ e voltei com tudo. Agora preciso assistir a 12ª e a 13ª 🙂
  3. Gilmore Girls: série leve que eu sempre quis assistir inteira, porque via só um episódio ou outro quando estava zapeando e comecei recentemente, incentivada pela temporada extra que a Netflix produziu. Já amo, estou na segunda temporada atualmente.
  4. The Blacklist: amo/sou séries investigativas. Comecei sem dar moral e viciei completamente, além de ter amado os looks da Liz Keen. Vale a pena assistir, são 5 temporadas, estou na quarta, em momento de pausa, mas logo retomo.
  5. Lúcifer: assisti a primeira temporada em uma tacada só, porque todo o cinismo do Luci me cativou, mas empaquei no começo da segunda e não continuei. Pretendo voltar logo.

Principais, são essas. Tem algumas que parei há muito tempo e até cogito terminar, mas não as considero para essa lista (Dexter, Gossip Girl e The O.C.). Agora me contem, vocês assistem alguma dessas? Quais me indicariam?

RodapéAnimadoBEUC

BEUC #01 | Blog Everyday Until Christmas

E aqui estamos nós, começando mais um projeto – e já começando errado! Mas essa sou eu, otimista, cheia de vontade e amante eterna de novas chances e começos. Mas será que dessa vez, além de começar, eu consigo ir até o final?

Como sempre, de olho no melhor grupo do Facebook relacionado á blogosfera, encontrei um post da Ana Mattos, dona do Teoria de Todas as Coisas, e me deu vontade de encarar mais uma loucurinha básica, pra tentar fechar o ano com chave de ouro, já que desde agosto, quando voltei com o Reticendo, não consegui manter uma sequência da qual pudesse me orgulhar por aqui.

A ideia era ter começado ontem – parabéns, Bruna – mas não consegui e vim aqui hoje, para dar início ao BEUC: Blog Everyday Until Christmas, com um dia de atraso mas muita vontade de ir até o final! Dessa vez tenho até um plano, yey! Tenho pautas programadas e vou fazer de tudo para deixar os posts escritos com antecedência (comecei bem, né?). Sobre acompanhar os blogs participantes, estou fazendo uma limpa no meu Feedly para ler tudo que eu tinha de atrasado nas últimas semanas e começar o BEUC com zero pendências, assim vou conseguir ler dia-a-dia o que a galera que está participando postar.

Quem sabe, assim, consigo acompanhar o Blogmas também, vou ser ousada nessa propostas, mas vai que, não é mesmo? Quem quiser participar, só vem! No rodapé tem o link para o post explicando o projeto, vai ser amor, prometo.

RodapéAnimadoBEUC

BEUC #02 | Resenha: Fangirl, Rainbow Rowell

Fangirl, de Rainbow Rowell | ano: 2014 | 424 pgs.
Fangirl, de Rainbow Rowell Ano: 2014 | 424 pgs.

Em uma tentativa frustrada de um projeto de Clube do Livro no Facebook, surgiu a sugestão do livro Fangirl, do qual nunca tinha ouvido falar, mas que mesmo assim conseguiu me prender na hora só por causa do título. Principalmente porque isso tudo foi na época pré-show do Green Day, então eu estava mais fangirl do que nunca na vida.

Quando vi que o livro era da Rainbow Rowell, não rolou uma identifcação de cara, me julguem por isso. Eu lembrava de ter escutado falar sobre a autora, mas ainda não tinha lido nada dela e não liguei o nome à pessoa – eu queria ler Anexos há bastante tempo, mas só depois de terminar Fangirl e ter ido pesquisar sobre a Rainbow descobri que era dela, além de Eleanor & Park e outros títulos que me interessaram muito.

Sobre Fangirl só posso dizer uma coisa: que livro delicioso de ler! Ele conta a história de Cather (Cath, para todos) em um momento crucial de mudança de vida para ela, uma jovem adulta que está ingressando na faculdade e que possui alguns problemas de fobia social e ansiedade.

Tendo crescido com um pai muito amoroso, mesmo que um pouco excêntrico – por motivos que são melhor explicados no decorrer da leitura – e uma irmã gêmea que sempre foi sua melhor amiga e companheira fiel, mas que ao chegar à faculdade decide viver uma vida totalmente independente, nossa protagonista se agarra com todas as forças aos personagens de sua saga literária favorita, Simon Snow, mesmo que para ela eles sejam muito mais do que isso. Cath é autora da fanfic mais famosa entre os leitores da saga e trata isso com muito carinho e importância.

A forma como Rainbow Rowell aborda todo esse amor de Cath por Snow é perfeita. Ela insere trechos dos livros fictícios em cada capítulo e também nos apresenta ao mundo das fanfics, apresentando fragmentos das histórias que a própria Cath criou. Ou seja, ela escreve por três pontos de vista diferentes, cada um com suas peculiaridades: a história central – a qual ela narra, a história original de Simon Snow – através dos olhos da autora Gemma T. Leslie e as fanfics – escritas pela perspectiva de Cath.

O livro aborda temas muito delicados e tensos, como a relação complicada (pode-se dizer que praticamente inexistente) das gêmeas com a mãe e a forma como cada uma lidou com isso. A importância dos laços familiares e de aprender a confiar nas pessoas, se abrir e aceitar nova oportunidades na vida.

Cath vive uma verdadeira montanha russa emocional durante as 424 páginas de Fangirl: desde a mudança no seu relacionamento com a irmã – Wren, passando pela dificuldade de se entrosar com Reagan, as dificuldades para manter o foco necessário em seu primeiro ano de faculdade e desafios inesperados que a fazem duvidar cada vez mais de si mesma e dificultam seu progresso nas interações sociais. Mas no meio disso tudo, ela é recompensada pela amizade (será que é só isso?) de Levi, de quem desconfiava e com quem aprende a se deixar levar, pelo menos um pouquinho, a princípio.

A narrativa do livro é muito leve, apesar de apresentar tantos temas que poderiam ser bem pesados, e te faz seguir por páginas e páginas sem cansar, dando cada vez mais vontade de seguir adiante. Ele termina deixando uma sensação imensa de quero mais, sem dúvida alguma, e é uma bela porta de entrada para os livros da Rainbow – inclusive aproveitei a Black Friday para garantir os meus.

RodapéAnimadoBEUC

 

 

Às vezes a vida acontece

Estou aqui, tentando recomeçar mais uma vez. Isso é o que fazemos de melhor, encontramos forças e vontade de fazer tudo melhor, tudo novo, quantas vezes forem necessárias. Muito aconteceu desde meu último post. Coisas incríveis e inesquecíveis, que merecem um post dedicado, e outras pesadas e complicadas, mas com as quais estou lidando e aprendendo.

Às vezes tomamos decisões que são difíceis, mas nesses momentos temos que pensar – mais do que nunca – no que vai fazer bem para nós. Pensar no que precisamos para ficarmos bem. É comum buscarmos fuga em coisas que não são tão saudáveis, para compensarmos as dificuldades que estamos prestes a atravessar, mas chega o momento decisivo e ninguém pode fazer isso pela gente.

Temos que dar a cara a tapa. Temos que passar pelas dores que a vida traz. Temos que viver um dia de cada vez. Temos que buscar o melhor para nossa vida, mesmo que para chegar a isso o caminho tenha algumas pedras. Umas serão maiores e mais pesadas que outras mas, ei! Você já chegou aqui, não chegou? Então eu garanto que consegue chegar ainda mais longe.

Recomece, aceite seu tempo. Deixe ele consertar as coisas e te trazer a paz que você tanto procura. Afinal, o que podemos ter de mais valioso nessa vida? Paz na alma, amor no coração, força para seguir em frente e fé. Em tudo. Nas pessoas, no amanhã, em nós mesmos. Às vezes a vida acontece com a gente e na hora não entendemos os motivos nem para onde ela quer nos levar, mas não importa aonde seja, vamos chegar com um sorriso no rosto e mais histórias para contar.

12-11-2017.jpg

Blogagem Coletiva de Setembro | Confissões de um viciado em livros

  1. Livro impresso ou e-book?

Impresso! Eu leio eBooks? Sim! Tenho algo contra eles? Não! Mas o ritual de sentir o cheiro, ver as especificações de impressão, passar a mão para sentir a textura da capa, aff, não há igual.

  1. Qual é o livro que você mais leu?

Sou clichê mesmo e vou dizer que foi Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban.

  1. Qual é o estilo literário que é o seu preferido no momento?

Chick Lit, já faz alguns anos que estou nessa.

  1. Qual é o estilo literário que você menos gosta?

Não consigo ler auto-ajuda. Já comprei alguns e não saio do lugar, mesmo que o tema me agrade e seja escrito de uma forma interessante.

  1. Qual é o livro que você pagou mais barato?

Querido John, na Black Friday de 2015: R$9,90!

  1. Qual é o livro que você pagou mais caro?

A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert, do Joël Dicker. Comprei logo que saiu e na época foi R$49,90, sendo que os livros ainda estavam na faixa de R$24,90 à R$29,90.

  1. Qual é o livro que você mais quis ou quer no momento?

Nossa! Tenho uma lista gigante, pergunta perigosa para um viciado. Quero muito “Em Busca de Abrigo” e “Paris para Um” da Jojo Moyes por motivos de: tenho todos os livros dela e é mais fácil manter uma coleção se alimentamos ela desde o início.

  1. Escolha um livro e compartilhe uma história.

Gosto muito de citar A Mediadora, da Meg Cabot. É uma série, não apenas um livro e recentemente teve um volume novo lançado, o que acabou por torna-la um pouco mais popular, mas na época em que eu li ninguém conhecia então encontrar algum fã da série era algo muito especial. É uma das minhas sagas preferidas. Li inteira em PDF no computador, porque quando era adolescente não tinha como comprar muitos livros com frequência – acho que por isso hoje em dia gasto tanto com eles – e assim que comecei a trabalhar comprei a coletânea no Submarino. Lembro que a previsão de entrega era de três dias, mas chegou no dia da compra mesmo e minha avó não me falou. Assim que cheguei em casa estava em cima da minha cama, passei um Carnaval inteiro lendo eles.

  1. Quantos livros você tem?

Puts, de cabeça não vai rolar, rs. Vamos apenas dizer que muitos!

  1. Qual é o seu lugar favorito pra comprar livros?

Saraiva ❤ Sou apaixonada por esse lugar. Já passei vários almoços da minha vida sentadinha quieta lá apenas pelo prazer de estar dentro de uma, com o cheiro de todos aqueles livros e músicas legais tocando.

  1. Você tem algum livro que se arrepende de ter comprado?

Nenhum, claro que já li livros que não gostei, mas a maioria das vezes isso aconteceu com eBooks ou livros que emprestei de bibliotecas, mas ainda assim não me arrependo de ter comprado.

  1. Mostre seu livro favorito.

Pode parecer clichê novamente, mas não consigo definir apenas um. Pensem comigo: já mostrei que sou apaixonada por Harry Potter, já falei de uma coleção que estou fazendo de uma autora e contei do meu amor pela saga quase desconhecida da Meg, isso sem ter mencionado muitos outros autores. Não dá para escolher um entre tanto amor. É igual perguntar a uma mãe qual filho ela mais ama.

  1. Qual foi a primeira vez que você leu um romance?

Puts, essa ficarei devendo, não consigo lembrar, rs.

Esse post faz parte da Blogagem Coletiva de Setembro do Clube do Unicórnio (sim, de setembro e foi postada em outubro, me julguem), se quiserem fazer parte também, cliquem aqui 😊

Banner projetos Clube do Unicórnio