Resenha: Tartarugas até lá embaixo, John Green

Não é segredo nenhum meu amor pelos livros do John Green. Desde o lançamento de A Culpa é das Estrelas em 2012, quando conheci a obra do autor, mergulhei em todos os livros dele e não via a hora de um novo ser lançado. E enfim esse dia chegou.

Tartarugas até lá embaixo, lançado esse ano pela Intrínseca, é um livro com todos os aspectos que estamos acostumados a encontrar nos livros do John Green: emoção, aventura, reflexão e bom humor! A personagem principal, Aza, é extremamente cativante e nos envolve desde a primeira página com sua narração em primeira pessoa, que nos leva através de suas agonias, medos e aflições.

Aza sofre de TOC e síndrome do pânico, questões muito faladas hoje em dia, mas pouco aprofundadas. Durante a narrativa, John conseguiu nos levar para dentro do mundo dela de forma tão profunda que muitas vezes durante a leitura, me peguei pensando em como seria viver com todas essas espirais dentro de minha cabeça. Ele conta, com detalhes, como as crises de ansiedade iniciam, como ela enxerga o mundo e como coisas simples desencadeiam um turbilhão de pensamentos e emoções que a levam ao ciclo vicioso do seu TOC.

Além de lidar com seus próprios problemas no dia-a-dia, Aza também tem que conviver uma melhor amiga que não parece compreender totalmente suas necessidades e problemas, uma mãe super protetora que nem sempre encontra a melhor forma de ajuda-la – mas que se esforça para conseguir -, as saudades do pai falecido e ainda por cima se vê no meio de uma trama cinematográfica envolvendo o desaparecimento do pai milionário de um ex-amigo de infância.

Como se tudo isso já não fosse o suficiente para manter suas emoções à flor da pele, algumas descobertas a respeito dos sentimentos de outras pessoas com relação a ela e de novas sensações que até então ela evitava, inflamam a história e nos levam a momentos críticos e extremamente emocionantes durante a leitura. É impossível parar no meio, como todas as outras obras do autor.

Se você quer um livro que traga à tona diversas emoções, te faça e rir e torcer pelo destino de cada um dos personagens, Tartarugas até lá embaixo é a leitura que você está procurando. Vale à pena e, obviamente, te deixa com aquela sensação de “quero mais” quando acaba.

resenha_tartarugas_edit

 

 

Anúncios

Estrutura do meu BUJO para 2018

Eis que 2017 acabou e eu que sou uma pessoa apaixonada por recomeços já estava aguardando há muito tempo para estrear meu Bullet Journal novo. Confesso que foi um desafio guardar o caderninho para utiliza-lo apenas a partir de janeiro, mas o que tem me ajudou a resistir bravamente foi a preparação dele.

A coisa mais legal de ter um BUJO é todo o processo de criação até chegar a um modelo que te agrade e seja funcional ao mesmo tempo. Ele é único e todo seu! E ali você pode colocar o que quiser, o que achar relevante, o que você quer ter sempre por perto! No final de setembro comprei o livro Diário em Tópicos para me ajudar nessa missão deliciosa, mas na qual fiquei um pouco perdida quando iniciei no final do ano passado.

O livro é bem prático, dá ideias de páginas semanais, mensais e anuais que podem ser legais manter, além de alguns exemplos de diagramação que podem ser muito úteis, principalmente se você não estiver tão inspirado naquele dia. Tudo bem que isso o Pinterest também faz com maestria – se você nunca pesquisou “bullet journal” no Pinterest, faça isso agora! -, mas eu sou uma pessoa extremamente dependente do papel e da caneta, então ter à minha mão um livro para destacar as ideias e ir montando um esboço da estrutura que espero para meu caderno em 2018 foi perfeito!

Como sou muito curiosa, meço a curiosidade das pessoas pela minha e sei que fico enlouquecida por posts e conteúdos que mostram passo a passo as construções dos BUJOS all over the world, rs. Não sou muito boa nesse negócio de ensinar as coisas num estilo DIY, mas fazer listas e me organizar é comigo mesma, então trouxe logo abaixo a estrutura que escolhi utilizar no meu BUJO 2018!

  • Índice: aqui colocamos as páginas de cada assunto importante que iremos abordar, para garantir que não vamos nos perder no meio de tanta coisa que vai aparecer durante o ano, já que a proposta do BUJO é justamente organizar nossa vida.
  • Year in Pixels: página para acompanhar como passamos o ano, com relação aos nossos sentimentos dia-a-dia. Fiz bem básico, todos os dias x meses e em cada quadradinho, pinto com a cor do que senti naquele dia (felicidade, cansaço, etc.).
  • Future Log:  páginas destinadas aos compromissos mais importantes do ano (aniversários, casamentos, viagens, etc.), para não nos perdermos com o passar do tempo.
  • Passwords & Logins: sempre tem aquela conta que não acessamos com frequência e que acabamos esquecendo nos momentos em que precisamos, então incluí essa página para deixar registrado!
  • Wishlist: listinha dos desejados do ano, com campo para ticar quando adquirir 😀
  • BrubsFit: criei essas páginas para registrar o acompanhamento do meu projeto durante esse ano. É sempre bom visualizar o andamento de projetos e acompanhar nossa evolução, isso nos dá mais ânimo de seguir em frente. Teremos posts específicos sobre isso durante o ano, porque também quero deixar registrado por aqui.
  • Reading List: lista dos livros que pretendo ler durante o ano, também vou incluir os que eu ler que não estavam no plano inicial, para acompanhar minha meta de 52 livros em 2018!
  • Series List: lista das séries que estou assistindo para não me perder no meio dos episódios e porque acho legal acompanhar desse forma (sou a louca das listas, me deixa).
  • 2018 Goals: listei meus objetivos para o ano, separando por áreas da minha vida (saúde, fitness, profissional, pessoal e financeira).
  • Desafio 52 Semanas: já viram nos Pinterests da vida a planilha para guardar dinheiro durante o ano todo? Se não viram, procurem! É uma planilha que indica um valor a ser depositado por semana, correspondendo ao número da semana que estamos no ano. Exemplo: semana 1 depositamos R$1, na semana 10 despositamos R$10 e por aí vai. Coloquei o acompanhamento no BUJO também.
  • Bill Tracker: vi essa ideia no livro Diário em Tópicos e gostei muito! É o acompanhamento de todas as contas fixas que temos a pagar (luz, TV a cabo, cartão de crédito, etc.). E aí colocamos o valor pago mês a mês e se foi pago na data, com atraso ou adiantado. É bem legal para visualizarmos como andam nossos gastos durante o ano.
  • Ways to Practice Self Care: uma lista com coisas para fazermos quando precisarmos daquele momento para cuidarmos de nós mesmos. Coloquei tudo que sei que me faz bem!
  • Acompanhamento de Tarefas Domésticas: uma relação de tarefas que tenho durante o ano, para acompanhar a frequência com a qual as faço (varrer o quarto, limpar livros, trocar os lençóis, etc.).
  • Rotina de Cuidados Pessoais: muitas vezes no dia-a-dia nos deixamos em segundo plano, então anotei minha rotina de cuidados para não esquecer de fazer essas coisas por mim diariamente.
  • Monthly Log: página mensal com as tarefas, objetivos e eventos do mês, para não me perder.
  • Habit Tracker: esse já é famosinho, rs. Relação de tarefas e hábitos que quero cultivar, para visualizar se estou conseguindo e o que preciso melhorar. É uma forma de motivação também!
  • Weekly Log: página semanal com tarefas, objetivos e espaço para inserir meu look da semana e refeições. Meu planejamento semanal!
  • Daily Log: por último, as páginas diárias. Nelas eu listo minhas atividades principais, to do lists do trabalho e pessoal também e aí vou marcando as que forem concluídas ao longo do dia. O que não conseguir finalizar, passo para o dia seguinte.

É isso, gente! E como disse, sou curiosa, então se vocês também fazem Bullet Journal me contem quais são suas páginas principais e me deem ideias para novas 🙂

 

Olá, 2018.

Você chegou. Seja bem-vindo. Faz alguns meses que te espero, pois já tinha muitos planos para colocar em prática com sua chegada. Dizem por aí que todo dia é dia para recomeçar, mas sou uma pessoa que gosta de simbologias e não há nada mais simbólico do que recomeçar junto com o começo do ano. Mesmo que eu goste de usar meu aniversário como fonte de força para iniciar novos ciclos, a força que vem com a virada de ano é inegável.

Para esse ano tenho muitas ideias que já estão no papel, loucas para ganharem vida! Tenho projetos pessoais, profissionais e uma vontade imensa de ser uma pessoa melhor em muitos aspectos. Desde dar aquele sorriso sincero para as pessoas que cruzam meu caminho nas ruas até parar de reclamar e reconhecer o bem em todas as coisas. Quero observar mais o mundo ao meu redor. Enxergar de verdade coisas que eu, até o momento, só via. Ver a beleza nos detalhes que pipocam todos os dias a nossa volta.

Pretendo escrever mais sobre o que vem de dentro e o que eu enxerguei do lado de fora. Tirar mais fotos de todos esses detalhes ocultos. Sentir o vento em uma tarde de terça-feira comum e agradecer pela brisa. Ser molhada pelos pingos de uma chuva que ameaça cair e reconhecer a vida que é renovada a cada temporal.

Quero organizar melhor meu tempo para não deixar nada do que eu amo de fora. E com isso me incluo, pois o amor próprio deve ser sempre o maior amor que carregamos dentro de nós. Se separamos tempo para ler e assistir seriados, por que esquecemos de separar o mesmo tempo para aquele momento só nosso antes de dormir? Nem que seja para passar um hidratante e pentear o cabelo.

É, 2018. Você chegou e eu prometi pra mim mesma muitas mudanças e melhorias a partir do seu primeiro dia. Sei que a sua espera foi só uma desculpa para dar início a tudo que eu desejo alcançar e agora você está aqui. não tenho mais porquê enrolar ou postergar. Toda mudança começa dentro de nós e a força para realiza-la também está aqui dentro. Carregamos isso com a gente, para usar no momento em que nos sentirmos preparados. Geralmente é quando precisamos. Não importa quando seja, desde que seja.

Obrigada por chegar e trazer tantas oportunidades. Por trazer renovação, reflexão e tanta vontade junto! Temos um ano de muita consciência e evolução pela frente. Vamos usar todas as páginas em branco que ganhamos e preenche-las com amor, carinho e força! Feliz ano novo! Feliz vida nova!

new year_quote

Sou um fiasco em desafios, eu assumo

É, gente! Podemos chamar minha participação no Blog Everyday Until Christmas oficialmente de fiasco. Não rolou. E todos os dias que eu não postei só pensava “eu tenho um post pra fazer, tenho um blog pra manter vivo”. E parava por aí. Acho que preciso pegar mais leve comigo mesma no quesito Reticendo. Saber que tenho a obrigação acaba me travando um pouco.

O blog deveria ser algo feito com amor, naturalidade e vontade. Me obrigar a postar só porque enlouqueci com um desafio não funcionou pra mim. Não que e vá desistir de tentar, quero chegar ao dia em que poderei me orgulhar da frequência dos posts e da minha capacidade de me programar para um BEDA da vida, ou o que seja. Mas esse dia ainda não chegou e preciso ser madura o suficiente para admitir e aceitar isso, rs.

O lado bom é que, apesar de não ter postado, estou acompanhando os desafios das meninas que continuam empenhada no BEUC – E AMANDO MUITO! Já me apaixonei por alguns blogs no caminho, tenho conseguido comentar e até ler posts antigos nesses blogs e aumentar ainda mais meu amor por eles. É um ponto positivo e um hábito que pretendo manter, com certeza!

E o que tenho feito nesses dias turbulentos que não consegui postar?

  • passei por uma convenção da empresa (a primeira!) e foi um sucesso;
  • terminei de ler Tartarugas até lá embaixo, do John Green (terá resenha, prometo);
  • fui à despedida de solteira de uma das minhas amigas que foram um presente de 2017 (acho que isso rende outro post, não a despedida, mas essa amizade linda que construí durante esse ano);
  • fui à festa da empresa;
  • trabalhei pra caramba;
  • tive algumas maratonas de visita a lojas para encontrar roupa para essa festa;
  • participei da confraternização do pessoal da minha sala no escritório na casa da chefa;
  • comprei um Karaokê em conjunto com meu pai (com 9.548 músicas, preciso sempre frisar essa informação);
  • fiz compras de Natal para a família, amo dar presentes!
  • teve a festinha de dois anos do meu irmão ❤
  • no mesmo dia fui ao casamento da minha amiga (aquela da despedida).

Detalhe para o fato de todos esses eventos terem sido em finais de semana consecutivos e que semana que vem já é Natal. E vou viajar para Bauru, para passarmos a data com a família da minha madrasta.

Resumidamente, foi assim que cheguei até aqui. E por aqui quero dizer: minha incompetência em me manter ativa no BEUC 2017, mas isso vai mudar, tenho fé. E só de ter encontrado alguns blogs maravilhosos no caminho, valeu à pena. Juro!

Follow my blog with Bloglovin

BEUC #05 | Quando as coisas saem de controle

Eu me preparei para o BEUC, de verdade. Tinha as pautas de todos os posts até o final do mês e um bônus de 5 posts para o período de 25 à 30/12. Seria tudo lindo e incrível. Mas aí chegou a semana da convenção de vendas da empresa em que eu trabalho. E eu trabalho no marketing, caso não tenha contado até hoje. Então foi loucura a semana inteira, foi loucura o final de semana inteiro e o pós evento ~lê segunda, ontem e hoje~ também foi loucura!

Então, todo o meu planejamento saiu pela culatra, mas não vou desanimar! Tem muito BEUC ainda pela frente, vou tentar postar retroativamente nesse final de semana, para recuperar os conteúdos que acabei deixando pra trás e ter 30 posts ao final do projeto. Questão de honra, de verdade.

Tem dias que os posts são lindos, inspiradores, cheios de amor para dar e outros que nosso cantinho funciona mais como um diário de verdade. Nesses dias, lembro como eram meus primeiros blogs, dez anos atrás. Quando só contava sobre meus dias, desabafava onde achava ser um lugar seguro, livre dos olhos e julgamentos de pessoas que, na minha cabeça adolescente, não entendiam nada do que eu passava ou sentia. Confesso que sinto falta de quando tudo era simples assim.

 

RodapéAnimadoBEUC

BEUC #04 | Quando precisamos pensar mais em nós mesmos

Vocês já se sentiram assim? Achando que precisavam fazer mais por si mesmos. Se olharam no espelho e não gostaram do que viram, por mais que tivessem a consciência de que é preciso se amar e cuidar da auto-estima?

Há alguns dias me sinto dessa forma. E tudo fica pior quando lembro que tudo que preciso fazer depende só de mim, em todos os aspectos da minha vida. Parece que estou me dedicando pela metade em tudo que devo fazer e não me sinto inteira por causa disso.

Tem trabalho, tem os livros que quero ler e as séries que preciso assistir. Tem a atenção que quero dar pra minha família e amigos e aí no meio disso, lembro vagamente que preciso dar atenção para mim mesma. Euzinha. A única pessoa que pode fazer isso.

Então, tá na hora de pensar nessa pessoa. De novo. De tempos em tempos eu tento melhorar, tento me cuidar, procuro o que me incentiva a isso e vou fundo. Queria aprender a fazer isso de forma contínua, de estar em sempre em primeiro lugar e sei que são coisas pequenas que me mantém nesse lugarzinho feliz. Quero me encontrar. Eu sei que vou.

RodapéAnimadoBEUC

 

BEUC #03 | As séries que estou assistindo atualmente

Já faz um bom tempo que quero falar sobre as séries que estou assistindo, mas o problema é que eu tenho o péssimo hábito de fazer uma maratona louca nas primeiras temporadas de séries que me prendem e depois esquecer de continuar, ou deixar para depois e iniciar novas séries no caminho. Quem nunca, não é mesmo? É praticamente a mesma coisa que faço com livros, me comprometo a ler todos os que tenho antes de sair por aí adquirindo novos e quando vejo, pá! Black Friday.

Deixando o lenga-lenga de lado, vou citar abaixo séries que comecei e estou acompanhando e outras que parei, mas pretendo retomar. Inclusive, fica essa dica para uma sessão no seu Bullet Journal 2018, caso vá fazer (e que já está no meu): catalogar e fazer o acompanhamento das séries que você está assistindo.

  1. Grey’s Anatomy: rainha da minha vida, melhor série, não me canso nunca! Melhores dramas, melhores personagens, melhores crushes. Percebam minha imparcialidade, rs.
  2. Supernatural: amo há anos, já fiz maratonas, parei de assistir quando ficou cansativa ~lê sexta e sétima temporadas~ e voltei com tudo. Agora preciso assistir a 12ª e a 13ª 🙂
  3. Gilmore Girls: série leve que eu sempre quis assistir inteira, porque via só um episódio ou outro quando estava zapeando e comecei recentemente, incentivada pela temporada extra que a Netflix produziu. Já amo, estou na segunda temporada atualmente.
  4. The Blacklist: amo/sou séries investigativas. Comecei sem dar moral e viciei completamente, além de ter amado os looks da Liz Keen. Vale a pena assistir, são 5 temporadas, estou na quarta, em momento de pausa, mas logo retomo.
  5. Lúcifer: assisti a primeira temporada em uma tacada só, porque todo o cinismo do Luci me cativou, mas empaquei no começo da segunda e não continuei. Pretendo voltar logo.

Principais, são essas. Tem algumas que parei há muito tempo e até cogito terminar, mas não as considero para essa lista (Dexter, Gossip Girl e The O.C.). Agora me contem, vocês assistem alguma dessas? Quais me indicariam?

RodapéAnimadoBEUC