Resenha: Tartarugas até lá embaixo, John Green

Não é segredo nenhum meu amor pelos livros do John Green. Desde o lançamento de A Culpa é das Estrelas em 2012, quando conheci a obra do autor, mergulhei em todos os livros dele e não via a hora de um novo ser lançado. E enfim esse dia chegou.

Tartarugas até lá embaixo, lançado esse ano pela Intrínseca, é um livro com todos os aspectos que estamos acostumados a encontrar nos livros do John Green: emoção, aventura, reflexão e bom humor! A personagem principal, Aza, é extremamente cativante e nos envolve desde a primeira página com sua narração em primeira pessoa, que nos leva através de suas agonias, medos e aflições.

Aza sofre de TOC e síndrome do pânico, questões muito faladas hoje em dia, mas pouco aprofundadas. Durante a narrativa, John conseguiu nos levar para dentro do mundo dela de forma tão profunda que muitas vezes durante a leitura, me peguei pensando em como seria viver com todas essas espirais dentro de minha cabeça. Ele conta, com detalhes, como as crises de ansiedade iniciam, como ela enxerga o mundo e como coisas simples desencadeiam um turbilhão de pensamentos e emoções que a levam ao ciclo vicioso do seu TOC.

Além de lidar com seus próprios problemas no dia-a-dia, Aza também tem que conviver uma melhor amiga que não parece compreender totalmente suas necessidades e problemas, uma mãe super protetora que nem sempre encontra a melhor forma de ajuda-la – mas que se esforça para conseguir -, as saudades do pai falecido e ainda por cima se vê no meio de uma trama cinematográfica envolvendo o desaparecimento do pai milionário de um ex-amigo de infância.

Como se tudo isso já não fosse o suficiente para manter suas emoções à flor da pele, algumas descobertas a respeito dos sentimentos de outras pessoas com relação a ela e de novas sensações que até então ela evitava, inflamam a história e nos levam a momentos críticos e extremamente emocionantes durante a leitura. É impossível parar no meio, como todas as outras obras do autor.

Se você quer um livro que traga à tona diversas emoções, te faça e rir e torcer pelo destino de cada um dos personagens, Tartarugas até lá embaixo é a leitura que você está procurando. Vale à pena e, obviamente, te deixa com aquela sensação de “quero mais” quando acaba.

resenha_tartarugas_edit

 

 

Anúncios

Estrutura do meu BUJO para 2018

Eis que 2017 acabou e eu que sou uma pessoa apaixonada por recomeços já estava aguardando há muito tempo para estrear meu Bullet Journal novo. Confesso que foi um desafio guardar o caderninho para utiliza-lo apenas a partir de janeiro, mas o que tem me ajudou a resistir bravamente foi a preparação dele.

A coisa mais legal de ter um BUJO é todo o processo de criação até chegar a um modelo que te agrade e seja funcional ao mesmo tempo. Ele é único e todo seu! E ali você pode colocar o que quiser, o que achar relevante, o que você quer ter sempre por perto! No final de setembro comprei o livro Diário em Tópicos para me ajudar nessa missão deliciosa, mas na qual fiquei um pouco perdida quando iniciei no final do ano passado.

O livro é bem prático, dá ideias de páginas semanais, mensais e anuais que podem ser legais manter, além de alguns exemplos de diagramação que podem ser muito úteis, principalmente se você não estiver tão inspirado naquele dia. Tudo bem que isso o Pinterest também faz com maestria – se você nunca pesquisou “bullet journal” no Pinterest, faça isso agora! -, mas eu sou uma pessoa extremamente dependente do papel e da caneta, então ter à minha mão um livro para destacar as ideias e ir montando um esboço da estrutura que espero para meu caderno em 2018 foi perfeito!

Como sou muito curiosa, meço a curiosidade das pessoas pela minha e sei que fico enlouquecida por posts e conteúdos que mostram passo a passo as construções dos BUJOS all over the world, rs. Não sou muito boa nesse negócio de ensinar as coisas num estilo DIY, mas fazer listas e me organizar é comigo mesma, então trouxe logo abaixo a estrutura que escolhi utilizar no meu BUJO 2018!

  • Índice: aqui colocamos as páginas de cada assunto importante que iremos abordar, para garantir que não vamos nos perder no meio de tanta coisa que vai aparecer durante o ano, já que a proposta do BUJO é justamente organizar nossa vida.
  • Year in Pixels: página para acompanhar como passamos o ano, com relação aos nossos sentimentos dia-a-dia. Fiz bem básico, todos os dias x meses e em cada quadradinho, pinto com a cor do que senti naquele dia (felicidade, cansaço, etc.).
  • Future Log:  páginas destinadas aos compromissos mais importantes do ano (aniversários, casamentos, viagens, etc.), para não nos perdermos com o passar do tempo.
  • Passwords & Logins: sempre tem aquela conta que não acessamos com frequência e que acabamos esquecendo nos momentos em que precisamos, então incluí essa página para deixar registrado!
  • Wishlist: listinha dos desejados do ano, com campo para ticar quando adquirir 😀
  • BrubsFit: criei essas páginas para registrar o acompanhamento do meu projeto durante esse ano. É sempre bom visualizar o andamento de projetos e acompanhar nossa evolução, isso nos dá mais ânimo de seguir em frente. Teremos posts específicos sobre isso durante o ano, porque também quero deixar registrado por aqui.
  • Reading List: lista dos livros que pretendo ler durante o ano, também vou incluir os que eu ler que não estavam no plano inicial, para acompanhar minha meta de 52 livros em 2018!
  • Series List: lista das séries que estou assistindo para não me perder no meio dos episódios e porque acho legal acompanhar desse forma (sou a louca das listas, me deixa).
  • 2018 Goals: listei meus objetivos para o ano, separando por áreas da minha vida (saúde, fitness, profissional, pessoal e financeira).
  • Desafio 52 Semanas: já viram nos Pinterests da vida a planilha para guardar dinheiro durante o ano todo? Se não viram, procurem! É uma planilha que indica um valor a ser depositado por semana, correspondendo ao número da semana que estamos no ano. Exemplo: semana 1 depositamos R$1, na semana 10 despositamos R$10 e por aí vai. Coloquei o acompanhamento no BUJO também.
  • Bill Tracker: vi essa ideia no livro Diário em Tópicos e gostei muito! É o acompanhamento de todas as contas fixas que temos a pagar (luz, TV a cabo, cartão de crédito, etc.). E aí colocamos o valor pago mês a mês e se foi pago na data, com atraso ou adiantado. É bem legal para visualizarmos como andam nossos gastos durante o ano.
  • Ways to Practice Self Care: uma lista com coisas para fazermos quando precisarmos daquele momento para cuidarmos de nós mesmos. Coloquei tudo que sei que me faz bem!
  • Acompanhamento de Tarefas Domésticas: uma relação de tarefas que tenho durante o ano, para acompanhar a frequência com a qual as faço (varrer o quarto, limpar livros, trocar os lençóis, etc.).
  • Rotina de Cuidados Pessoais: muitas vezes no dia-a-dia nos deixamos em segundo plano, então anotei minha rotina de cuidados para não esquecer de fazer essas coisas por mim diariamente.
  • Monthly Log: página mensal com as tarefas, objetivos e eventos do mês, para não me perder.
  • Habit Tracker: esse já é famosinho, rs. Relação de tarefas e hábitos que quero cultivar, para visualizar se estou conseguindo e o que preciso melhorar. É uma forma de motivação também!
  • Weekly Log: página semanal com tarefas, objetivos e espaço para inserir meu look da semana e refeições. Meu planejamento semanal!
  • Daily Log: por último, as páginas diárias. Nelas eu listo minhas atividades principais, to do lists do trabalho e pessoal também e aí vou marcando as que forem concluídas ao longo do dia. O que não conseguir finalizar, passo para o dia seguinte.

É isso, gente! E como disse, sou curiosa, então se vocês também fazem Bullet Journal me contem quais são suas páginas principais e me deem ideias para novas 🙂

 

BEUC #05 | Quando as coisas saem de controle

Eu me preparei para o BEUC, de verdade. Tinha as pautas de todos os posts até o final do mês e um bônus de 5 posts para o período de 25 à 30/12. Seria tudo lindo e incrível. Mas aí chegou a semana da convenção de vendas da empresa em que eu trabalho. E eu trabalho no marketing, caso não tenha contado até hoje. Então foi loucura a semana inteira, foi loucura o final de semana inteiro e o pós evento ~lê segunda, ontem e hoje~ também foi loucura!

Então, todo o meu planejamento saiu pela culatra, mas não vou desanimar! Tem muito BEUC ainda pela frente, vou tentar postar retroativamente nesse final de semana, para recuperar os conteúdos que acabei deixando pra trás e ter 30 posts ao final do projeto. Questão de honra, de verdade.

Tem dias que os posts são lindos, inspiradores, cheios de amor para dar e outros que nosso cantinho funciona mais como um diário de verdade. Nesses dias, lembro como eram meus primeiros blogs, dez anos atrás. Quando só contava sobre meus dias, desabafava onde achava ser um lugar seguro, livre dos olhos e julgamentos de pessoas que, na minha cabeça adolescente, não entendiam nada do que eu passava ou sentia. Confesso que sinto falta de quando tudo era simples assim.

 

RodapéAnimadoBEUC

BEUC #04 | Quando precisamos pensar mais em nós mesmos

Vocês já se sentiram assim? Achando que precisavam fazer mais por si mesmos. Se olharam no espelho e não gostaram do que viram, por mais que tivessem a consciência de que é preciso se amar e cuidar da auto-estima?

Há alguns dias me sinto dessa forma. E tudo fica pior quando lembro que tudo que preciso fazer depende só de mim, em todos os aspectos da minha vida. Parece que estou me dedicando pela metade em tudo que devo fazer e não me sinto inteira por causa disso.

Tem trabalho, tem os livros que quero ler e as séries que preciso assistir. Tem a atenção que quero dar pra minha família e amigos e aí no meio disso, lembro vagamente que preciso dar atenção para mim mesma. Euzinha. A única pessoa que pode fazer isso.

Então, tá na hora de pensar nessa pessoa. De novo. De tempos em tempos eu tento melhorar, tento me cuidar, procuro o que me incentiva a isso e vou fundo. Queria aprender a fazer isso de forma contínua, de estar em sempre em primeiro lugar e sei que são coisas pequenas que me mantém nesse lugarzinho feliz. Quero me encontrar. Eu sei que vou.

RodapéAnimadoBEUC

 

Playlist #06 | Top 5: Rock Nacional Anos 80

Tô quase mudando a data da playlist da semana para domingo, porque já são duas semanas seguidas que não consigo postar no dia certo. Mas o importante é sair. O tema de hoje une duas coisas que eu amo: Rock e os anos 80! Poderia passa muito tempo falando sobre os dois temas, então resolvi elencar 5 nomes da década dos quais eu sou muito fã e escuto bastante desde sempre.

Obviamente, por influência do meu pai, como sempre, mas que se tornaram relevantes para mim independente disso. Aviso que a ordem da lista não tem relação com a ordem de preferência, porque na verdade eu não conseguiria classificar dessa forma. Vamos lá?

11945,1629

 

Legião Urbana: Clássico dos anos 80 que atravessa gerações. Uma das minhas bandas preferidas da vida, não apenas nessa categoria. Sou dessas que canta Faroeste Caboclo inteira quando toca só pra mostrar que sei mesmo, podem julgar.

Mais escutadas: Tempo Perdido, Faroeste Caboclo, Índios <3, Ainda é Cedo.

 

 

cazuza-1-credito-divulgacao

Cazuza: “Meus heróis morreram de overdose, os meus inimigos estão no poder.” Taí uma frase que sempre me faz pensar. E quanto mais loucos os dias ficam e o mundo se perde em tristeza, guerra e indiferença, mais percebo o quanto as letras cantadas por ele e por tantos outros ícones continuam atuais, mesmo 30 anos depois.

Mais escutadas: Ideologia, O Tempo Não Para, Codinome Beija-Flor, Vida Louca Vida, Pro Dia Nascer Feliz.

 

 

IMG_2793

Capital Inicial: Lembro dos meus 16/17 anos, nas minhas últimas férias de verão antes do terceiro ano do Ensino Médio, aquela fase terrível de transição e dúvidas que todo adolescente passa. Pré-vestibular, cheia de inseguranças e medos e o show deles Ao Vivo em Brasília passou no Multishow na virada do ano. Gravei o show e assisti TODOS os dias dessas férias. Literalmente. Se tornou quase um ritual e isso ficou gravado pra sempre na minha memória, eram minha companhia enquanto eu aproveitava os últimos momentos de uma época que não voltaria jamais.

Mais escutadas: Fátima <3333, Independência, À Sua Maneira, Tudo Que Vai, Quatro Vezes Você, Respirar Você.

 

Titãs

Titãs: Acho incrível a energia dos caras até hoje. Com músicas que vão de românticas a críticas sociais e políticas extremamente necessárias e mesmo depois de tantas baixas eles continuam sendo incríveis. Tive a honra de assistir ao show de 30 anos da banda, que contou com a presença da formação original, depois de tantos anos separados e fui a outros shows deles também. Admito que sem o Paulo Miklos minha vontade de ir assisti-los diminuiu um pouco, sou muito fã do cara, mas isso não muda o carinho pela banda.

Mais escutadas: Epitáfio, Marvin, Vossa Excelência, Pra Dizer Adeus, Os Cegos do Castelo, Flores, Televisão.

 

cc4c80be-5d89-4c6d-b576-bfecc883a9da_paralamasjunho2017

Os Paralamas do Sucesso: Clássico, sem dúvida. Com uma pegada meio rock e MPB ao mesmo tempo, a banda continua sendo uma das referências, para mim, do que era a música na década de 80. Eles são os caras que têm as músicas antigas que são clássicas de karaokê e de domingos em família, mas também têm as que são tema de casal apaixonado em novela. Já embalaram romances, fossas, momentos de tristeza e alegria na vida de muita gente (na minha com certeza) e tinham que estar nesse top 5 com certeza.

Mais escutadas: Meu Erro, Lanterna dos Afogados, Romance Ideal, Ela Disse Adeus, Aonde Quer Que Eu Vá.

 

p000004214

Bônus Track: Não poderia deixar a banda Ira! de fora, que eu já ouvia um pouco com meu pai quando era mais nova, mas que só fui conhecer melhor no meu primeiro emprego. Trabalhava em uma empresa de diagramação e editoração e o clima era bem descontraído. Trabalhávamos ouvindo música e dentre muita coisa que aprendi a ouvir e outras que acabei enjoando de tanto que tocava, nasceu o carinho pelas músicas do Ira!. O acústico não saía mais da minha playlist e até hoje é uma das bandas que respeito demais do cenário nacional.

Mais escutadas: O Girassol, Flores em Você, Tarde Vazia, Flerte Fatal.

 

Eu poderia falar de vários outros nomes essenciais ao Rock Nacional dos Anos 80, mas quis falar dos mais escutados por mim, que fizeram parte da minha vida, principalmente adolescência e que me acompanham até hoje. Me conta quais são as suas referência dessa época também!

Playlist #05 | Para ler

post 17-09-2017Tem gente que acha estranho pra caramba, mas sei que tem quem se identifique comigo, então vamos lá. Olá, meu nome é Bruna e eu gosto de ouvir música enquanto leio. Brincadeiras à parte, foi um hábito adquirido inconscientemente e enquanto para algumas pessoas qualquer barulho atrapalha o momento da leitura, para mim  a música aumenta minha capacidade de me fechar em meu mundinho e entrar 100% na história que estou lendo.

Após alguns minutos nem estou mais prestando atenção à letra ou às músicas que estão tocando, mas sei que são elas que estão criando a barreira entre o mundo “lá fora” e esse momento tão meu com meus livros. Principalmente quando estou em locais mais barulhentos, o que acontece praticamente todos os dias, já que o momento mais garantido que tenho para ler é no deslocamento para o trabalho e para casa, dentro do metrô.

A verdade é que qualquer coisa que eu ouvir já vai cumprir bem a função de me isolar do mundo, porque acabo me perdendo na leitura e não prestando atenção na música em si, mas tem algumas que gosto de saber que vão tocar, é bem psicológico mesmo, e vou compartilhar agora com vocês. Tem muita música que fazem parte da trilha sonora de adaptações de livros e de filmes românticos e outras que eu só relaciono com muitos momentos que passei lendo e ouvindo. Vale a pena, eu garanto! E se tiverem mais opções para me apresentarem, comentem!

#tag: 31 perguntas para quebrar um silêncio constrangedor

O BEDA acabou mas alguns memes que eu vi durante esse período ainda merecem ser respondidos, porque fiquei com muita vontade de faze-los! Vamos lá?

  1. Você gosta de coentro ou acha que tem gosto de sabonete? Acho que nunca comi coentro, porque evito folhas verdes e pequenas utilizadas como tempero. E pode me chamar de fresca.
  2. O que você acha de áudios do WhatsApp? Até um minuto é aceitável, mas sempre tem azamiga que se empolgam né de vez em quando, né? Mas não uso muito, prefiro escrever.
  3. Você também comia o chocolate da Turma da Mônica pelas bordinhas? Sempre!
  4. Qual é a melhor consoante do alfabeto? B ❤
  5. Qual é a primeira rede social que você vê de manhã? Instagram, pra ver os babados da noite passada no stories, hahaha. Mentira, só porque é a que eu mais gosto e tenho utilizado ultimamente.
  6. Você acha que existe alguma bala melhor que 7 Belo? Com certeza! ~polêmica~ Amo a de maçã verde e FreeGells recheada com chocolate, era minha preferida na adolescência.
  7. Que cor você acha menos confiável? Verde, nunca gostei.
  8. Qual foi o último filme que você viu e odiou? Não consigo lembrar, mas odiei Kill Bill. Acho que foi o que mais me marcou, tem até uma história engraçada de família sobre esse filme, eu prometo contar um dia!
  9. Qual animal parece mais simpático, um pato ou um golfinho?  Golfinhos ❤
  10.  Toddy ou Nescau? Toddy.
  11. Você acha que bebês conversam uns com os outros? Acho que não, mas acho que tentam entender tudo que tá acontecendo ao redor deles.
  12. Sabia que todo mundo é feito de poeira de estrelas? Nossa! Sério? Não sabia, mas achei lindo e poético.
  13. Ouro Branco ou Sonho de Valsa? Ouro Branco, chocolate branco é amor.
  14. Qual era seu desenho favorito na infância? Eu fui muito de fases, mas acho que Pokémon foi o que se manteve por mais tempo como dono do meu coração.
  15. Que série você jamais reveria? Gossip Girl, eu curti, nem cheguei a terminar até hoje, mas tem mimimi DEMAIS pra assistir duas vezes.
  16. Qual personagem do Harry Potter você menos gosta? A universalmente odiada Dolores Umbridge, obviamente.
  17. Qual é sua opinião sobre barrinhas de cereal? Pra mim valem mais como doce do que como uma opção saudável, mas isso sou eu depois de alguns meses estudando sobre low carb e aprendendo a ler rótulos sem me basear em calorias. Mas em relação a sabor: amo. Em relação a opção: passo.
  18. Com quem você dividiria um Bis? Com ninguém, prefiro dar o Bis inteiro pra outra pessoa, rs. Comer um pedaço só é impossível.
  19. O que você faria se achasse R$ 50 na rua? Se não tivesse a menor ideia de quem o perdeu, pegaria.
  20. Quanto tempo uma comida precisa estar na geladeira para você considerar ela velha? O tempo de eu me perguntar o que tem dentro daquele pote e não saber a resposta. E não tenho coragem de abrir pra descobrir o que é também!
  21. Qual é seu número preferido? 5, mas não sei porquê. Provavelmente por ser um número redondo, a louca dos TOCs.
  22. Qual é o aplicativo mais inútil do seu celular? Nenhum, uso todos os apps que tenho. Não baixo muitos e quando percebo que tem algum app que não usei por um tempo logo apago. Se precisar para alguma coisa pontual novamente um dia, baixo de novo. 
  23. Quem você tiraria do elenco de “Friends” se fosse obrigado? Hora de polêmica: Phoebe.
  24. Você é contra ou a favor de comer macarrão com arroz? CONTRAAAA! Macarrão é vida, é amor verdadeiro e eu não gosto de arroz – me julguem -.
  25. Qual foi a última vez que você precisou usar a Fórmula de Bháskara? Para me formar no Ensino Médio, provavelmente. Quase dez anos atrás.
  26. Você acha que dá para morrer de overdose de rúcula? Olha, não sei se dá pra morrer, mas nada em excesso faz bem. Pelo menos umas boas horas no banheiro eu acho que rende.
  27. Quanto tempo você levou para entender como funciona o Snapchat? Puts, não sei. Quando resolvi usar já tinha passado do auge, então acho que foi mais fácil aprender.
  28. Qual é sua opção favorita no restaurante por quilo? Azeitona, hahaha. Todo dia almoço em um quilão e todo dia como azeitona. 
  29. Você gosta de “Sorry” do Justin Bieber? Gosto e não tenho vergonha de admitir.
  30. Você prefere passar muito frio ou muito calor? É relativo. É mais fácil lidar com o frio, porque é só ir colocando roupa em cima de roupa até se esquentar, mas eu amo o calor, então mesmo com menos opções, prefiro passar calor. 
  31. Você está dormindo e sobe uma barata na sua cara. Você prefere continuar dormindo e nunca saber ou acordar e fazer alguma coisa? Continuar dormindo. O que os olhos não veem, o coração não sente, rs.

Sintam-se à vontade para responderem também e me avisem se postarem a tag, vamos quebrar o gelo com perguntas aleatórias hahahaha!