Playlist #06 | Top 5: Rock Nacional Anos 80

Tô quase mudando a data da playlist da semana para domingo, porque já são duas semanas seguidas que não consigo postar no dia certo. Mas o importante é sair. O tema de hoje une duas coisas que eu amo: Rock e os anos 80! Poderia passa muito tempo falando sobre os dois temas, então resolvi elencar 5 nomes da década dos quais eu sou muito fã e escuto bastante desde sempre.

Obviamente, por influência do meu pai, como sempre, mas que se tornaram relevantes para mim independente disso. Aviso que a ordem da lista não tem relação com a ordem de preferência, porque na verdade eu não conseguiria classificar dessa forma. Vamos lá?

11945,1629

 

Legião Urbana: Clássico dos anos 80 que atravessa gerações. Uma das minhas bandas preferidas da vida, não apenas nessa categoria. Sou dessas que canta Faroeste Caboclo inteira quando toca só pra mostrar que sei mesmo, podem julgar.

Mais escutadas: Tempo Perdido, Faroeste Caboclo, Índios <3, Ainda é Cedo.

 

 

cazuza-1-credito-divulgacao

Cazuza: “Meus heróis morreram de overdose, os meus inimigos estão no poder.” Taí uma frase que sempre me faz pensar. E quanto mais loucos os dias ficam e o mundo se perde em tristeza, guerra e indiferença, mais percebo o quanto as letras cantadas por ele e por tantos outros ícones continuam atuais, mesmo 30 anos depois.

Mais escutadas: Ideologia, O Tempo Não Para, Codinome Beija-Flor, Vida Louca Vida, Pro Dia Nascer Feliz.

 

 

IMG_2793

Capital Inicial: Lembro dos meus 16/17 anos, nas minhas últimas férias de verão antes do terceiro ano do Ensino Médio, aquela fase terrível de transição e dúvidas que todo adolescente passa. Pré-vestibular, cheia de inseguranças e medos e o show deles Ao Vivo em Brasília passou no Multishow na virada do ano. Gravei o show e assisti TODOS os dias dessas férias. Literalmente. Se tornou quase um ritual e isso ficou gravado pra sempre na minha memória, eram minha companhia enquanto eu aproveitava os últimos momentos de uma época que não voltaria jamais.

Mais escutadas: Fátima <3333, Independência, À Sua Maneira, Tudo Que Vai, Quatro Vezes Você, Respirar Você.

 

Titãs

Titãs: Acho incrível a energia dos caras até hoje. Com músicas que vão de românticas a críticas sociais e políticas extremamente necessárias e mesmo depois de tantas baixas eles continuam sendo incríveis. Tive a honra de assistir ao show de 30 anos da banda, que contou com a presença da formação original, depois de tantos anos separados e fui a outros shows deles também. Admito que sem o Paulo Miklos minha vontade de ir assisti-los diminuiu um pouco, sou muito fã do cara, mas isso não muda o carinho pela banda.

Mais escutadas: Epitáfio, Marvin, Vossa Excelência, Pra Dizer Adeus, Os Cegos do Castelo, Flores, Televisão.

 

cc4c80be-5d89-4c6d-b576-bfecc883a9da_paralamasjunho2017

Os Paralamas do Sucesso: Clássico, sem dúvida. Com uma pegada meio rock e MPB ao mesmo tempo, a banda continua sendo uma das referências, para mim, do que era a música na década de 80. Eles são os caras que têm as músicas antigas que são clássicas de karaokê e de domingos em família, mas também têm as que são tema de casal apaixonado em novela. Já embalaram romances, fossas, momentos de tristeza e alegria na vida de muita gente (na minha com certeza) e tinham que estar nesse top 5 com certeza.

Mais escutadas: Meu Erro, Lanterna dos Afogados, Romance Ideal, Ela Disse Adeus, Aonde Quer Que Eu Vá.

 

p000004214

Bônus Track: Não poderia deixar a banda Ira! de fora, que eu já ouvia um pouco com meu pai quando era mais nova, mas que só fui conhecer melhor no meu primeiro emprego. Trabalhava em uma empresa de diagramação e editoração e o clima era bem descontraído. Trabalhávamos ouvindo música e dentre muita coisa que aprendi a ouvir e outras que acabei enjoando de tanto que tocava, nasceu o carinho pelas músicas do Ira!. O acústico não saía mais da minha playlist e até hoje é uma das bandas que respeito demais do cenário nacional.

Mais escutadas: O Girassol, Flores em Você, Tarde Vazia, Flerte Fatal.

 

Eu poderia falar de vários outros nomes essenciais ao Rock Nacional dos Anos 80, mas quis falar dos mais escutados por mim, que fizeram parte da minha vida, principalmente adolescência e que me acompanham até hoje. Me conta quais são as suas referência dessa época também!

Anúncios

Limpeza sazonal e o bem que nos faz

22-09-2017

Como toda louca da organização, gosto de momentos em que uma bela limpeza pode ser considerada algo simbólico. Por exemplo, quando esvaziamos os armários no final do ano, para abrir espaço para o que vai chegar com o ano que está para começar e coisas do tipo. Sou muito chegada nessas desculpas “místicas” que gostamos de inventar para justificar a necessidade de virar a casa de cabeça para baixo e arrumar tudo do zero.

Pois bem, semana passada, dada a iminência de mais um ano a ser completado por minha pessoa, baixou a louca da limpeza aqui e tirei tudo do meu quarto (o lugar em que mais me sinto à vontade e segura no mundo, meu refúgio, meu mundinho) e passei o domingo limpando e arrumando o lugar. Me deu uma sensação tão boa, de recomeço.

E calhou de ser próximo ao início da primavera, uma das minhas estações preferidas do ano. O dia estava gostoso, o céu azul e no final do dia meu quarto estava mais aconchegante do que nunca. Tomei um banho relaxante para expurgar tudo de pesado que carregamos durante o ano, ainda mais por estar acabando meu inferno astral e me deitei com a sensação de dever cumprido, quarto cheiroso e mil possibilidades chegando junto com meus 25 anos.

Pode parecer besteira, mas essas atitudes simples, uma limpeza, doar roupas que não usamos mais, um banho para recarregar as energias atrai muita coisa boa para a nossa vida. É revigorante e renovador. Gosto de fazer sempre que possível, mas no ano novo e no meu aniversário (que nada mais é que nosso ano novo pessoal) não deixo passar. É sagrado e me dá a sensação de começar essas novas etapas com o pé direito.

Vale a pena, para todo mundo, se guiar nem que seja ao menos pelas estações do ano e planejar essas arrumações “mais pesadas”. Guardar os cobertores e roupas de frio, trazer os vestidos para a frente no guarda-roupa. Colocar as botas para o fundo e liberar espaço doando tudo que não foi utilizado nos últimos seis meses (técnica que aprendi e pratico periodicamente sem nem pensar).

A Thais Godinho, do blog Vida Organizada (meu blog preferido de todos os tempos!), sempre passa um Checklist Mensal no começo de cada mês, com ideias de coisas para providenciar no mês em questão e que é muito útil para se planejar para os meses e datas que virão em seguida. No post desse mês tem algumas dicas de ações para se preparar e aproveitar a chegada da primavera e, se você tiver paciência, no histórico dos anos anteriores têm várias outras, se eu fosse você daria uma olhada com certeza. Mas já aviso que é fácil se perder e não querer mais sair do blog, rs.

E você? Quais são seus planos para esse último trimestre? Como você costuma fazer essas arrumações e limpas sazonais? Me conta!

Não pensa, só vai

E eu fui! Finalmente criei coragem e dei o ponta pé inicial em uma das minhas 101 coisas para fazer em 1001 dias! E esse item acaba complementando vários outros, o que me deixa mais empolgada ainda.

Há alguns anos luto contra a balança e nunca vou muito longe nos meus projetos fitness. Esse ano decidi que seria diferente, por um bom tempo estudei sobre a alimentação Low Carb (ainda vai ter post aqui falando sobre, prometo!) e iniciei por esse caminho. Foram três meses regrados e com ótimos resultados.

Durante esses período, fiz atividades físicas por um mês e estava me fazendo muito bem. Um grupo de amigas fitness, que conheci participando de desafios do Instagram com pessoas na mesma trajetória, me ajudava muito. Na verdade, todas nos ajudamos mutuamente, e era a maior motivação que tinha naqueles dias, além dos desafios pessoais que eu mesma me impunha para sentir que tinha um objetivo próximo para alcançar.

Acontece que quase na mesma época, todas nós demos uma bobeada com relação às rotinas e alimentação e o negócio descambou. Voltei a me sentir mal comigo mesma, larguei a academia e foi a bola de neve de sempre. Com minha lista, meu aniversário e a vontade de retomar minha vida mais saudável, livre de industrializados, com comida de verdade e uma sensação maravilhosa de dever cumprido a vontade retornou e sem pensar muito (aprendi com a amiga, não pensa: só vai!) acordei mais cedo ontem, coloquei a roupa e fui para a academia antes do trabalho.

Matrícula renovada, força de vontade e o apoio das meninas, que também despertaram e voltaram ao nosso tão amado foco, i’m back to the game! Feliz de novo, com um plano certo para seguir e, com certeza, realizar. Sempre falo “agora vai!”. Mas dessa vez eu sinto que já foi! Está muito claro para mim o que preciso fazer e o tamanho da satisfação que isso vai me trazer. Então agora é assim, não, só levanto e vou. Faço as escolhas alimentares certas, tomo meu chá, minha água e meu café e durmo sem peso na consciência (e um pouco menos na balança).

the-beginning-is-the-hardest-spotebi

Quero chegar ao ponto de poder manter o equilíbrio na minha vida sem descambar. Passamos três meses indo bem e emagrecendo e achamos que já podemos abrir algumas exceções pesadas, mas o resultado sempre chega e nunca gostamos dele. Quero viver bem comigo e com tudo em minha vida. Com o trabalho, minha saúde, minha alimentação, as pessoas que amo. E para isso, preciso estar de bem comigo mesma. É o ponto principal de tudo.

Se você está nesse exato momento procrastinando o começo de uma mudança importante em sua vida, segue esse conselho. Não espera o dia primeiro do mês que vem, nem a segunda-feira. Não pensa “já errei hoje, então deixa para amanhã.” Começa agora. Eu voltei aos meus hábitos em uma quarta-feira. Não me dei mais cinco dias para errar, aceitei que ontem era um dia tão bom quanto qualquer um. Na verdade, até melhor. A frase é clichê, mas faz sentido: daqui a um ano, você vai desejar ter começado hoje. Então começa e diminui um pouco sua lista de arrependimentos, transforme-a na sua lista de conquistas!

 

I’m feeling 25

Sumi alguns dias, sem me orgulhar disso, mas trabalhei loucamente e no feriado tive alguns problemas técnicos e fiquei sem computador. Mas volto hoje em grande estilo, para comemorar a chegada dos meus vinte e cinco anos. Sou uma pessoa que gosta muito de comemorar aniversário. Acho que a vida é para ser celebrada, sim! Sempre! E se temos um dia no ano totalmente dedicado à nossa vida, é o dia que mais temos que celebrar.

Fazendo uma breve retrospectiva do meu último ano, só consigo lembrar de coisas boas, de conquistas e alegrias. E eu até sinto aquele medinho básico de falar isso, por causa de inveja, olho gordo, quebrante ou seja lá o nome que você quiser dar, mas eu não estaria sendo justa com o universo se não falasse. E se não agradecesse.

Sou grata pela minha vida e pelas pessoas que fazem parte dela. Sou grata, inclusive, pelo funil que ela se encarrega de fazer para deixar somente as pessoas que realmente nos agregam e fazem bem. Se eu contar dos últimos cinco anos pra cá, sei exatamente quem ficou. Nem preciso ir tão longe, na verdade. Dos últimos três anos pra cá já é o suficiente. E hoje sei que quem ficou é quem se importa (e importa para mim) me ama e quer meu bem.

Acordei com 25, me sentindo mais próxima dos 30, mais distante da Bruna de 15 e muito mais completa do que nunca. Só posso desejar que esse ciclo que se iniciou hoje seja ainda mais repleto de alegrias do que o último. E que todo ano isso se repita pra eu ter motivos para agradecer e poder continuar com os mesmos desejos.

Desde que eu aprendi a tomar a responsabilidade pela minha vida, pelos meus atos e do meu destino, muita coisa mudou. Eu mudei. E mudar é bom. Antigamente eu tinha um pavor imenso de mudanças, mas hoje eu aceito e entendo quão necessárias elas são para nossa evolução. Quero mais da vida, aprender mais, amar mais, sonhar mais e realizar muuuuuito mais! Essas minhas novas páginas em branco estão aí para isso. Para serem coloridas com vida! Meu ano novo começou hoje, minhas resoluções estão prontas e daqui a um ano volto aqui pra agradecer novamente.

Bem-vindos, 25.

11-09-2017

 

Playlist #04 | Quando bate a bad

02-09-2017

Todo mundo tem alguns dias meia boca, em que só queremos ouvir aquelas músicas melancólicas que teriam tudo para nos deixar ainda mais tristes, mas acabam sendo o que consegue aquecer nossos corações.

Como fã de Grey’s Anatomy, gosto muito ouvir uma playlist que criei com a soundtrack da série, porque melancolia a gente vê bastante por lá, mas tem várias outras músicas que eu gosto e acho que combinam muito com esses dias cinzentos que vivemos de vez em quando.

A música entra na alma e consegue expressar sentimentos que não sabemos como colocar pra fora apenas com sua melodia, sem nem precisar da letra. Nessa playlist separei um pouco das duas coisas, letras e músicas que combinam com esse mood e que serão ótimas companhias para curtir a bad de uma forma mais aconchegante.

Do mesmo jeito que ela chega, ela vai embora. Vamos aproveitar esses momentos para nos conhecermos e entendermos melhor, respeitando e curtindo esse tempo nosso com nós mesmos. Espero que gostem.

 

BEDA: a NEW blog everyday

Tenho uma declaração a fazer: COMO EU CONSEGUI FERRAR COM O FINAL DO BEDA TÃO DRASTICAMENTE ASSIM? Cara, eu tinha esse post nos rascunhos para ter saído ontem e estava com o post de quarta escrito salvo nos rascunhos também (um meme) e eu simplesmente não tive tempo de postar! Tô bem chateada comigo mesma por causa disso, era a reta final, era só clicar em publicar e eu falhei miseravelmente. Me desculpem? Agora vamos ao que interessa.

Na real que pra mim esse deveria ser o nome do projeto! Cara, é incrível e já falei sobre essa loucura em outro post, mas não imaginei que mesmo depois de mais da metade do mês eu ainda estaria conhecendo novos blogs e acrescentando na minha lista de favoritos para ler mais tarde!

Às vezes é pelo blogroll de algum blog que eu já adoro, sendo assim acabo dando crédito aos blogs que são indicados por lá quem nunca, não é mesmo?, e às vezes é no grupo do Facebook, algum comentário acima do meu sempre acaba chamando minha atenção. E juro que penso duas vezes antes de acessar, porque geralmente já estou com o pressentimento de que vou gostar do que encontrarei por lá. E aí é mais um blog que vou querer muito ler e não vou conseguir, pelo menos até agosto acabar!

Pausa para comentar que: a letra de Wake Me Up When September Ends passou pela minha mente enquanto digitava a frase. É impossível não pensar, gente! (Vem Green Day, 63 dias)

Enrolações à parte, já que falo tanto do meu feed sem fim (prometo que um dia eu acabo com isso, já que o BEDA acabou), vou mostrar os blogs que eu mais gostei durante esse período que foi inesquecível, independente das minhas falhas em postar todos os dias, foi uma experiência que já quero repetir ano que vem, com mais planejamento inclusive para acompanhar as leituras de tantos blogs queridos!

  • E Agora, Isadora?, da Isa linda!
  • Wink, da Mia Sodré, que já acompanhava antes do meu afastamento da blogosfera
  • Sweet Luly, da Lully, que só conheci agora e amei!
  • Supimpa Girl, da Vivi ❤ ❤ ❤ Linda, incrível e com quem me identifico tanto!
  • Lunatic Pisces, da Michas, fã de Supernatural que ganhou meu coração.
  • Eu Não Nasci Nos Anos 80, da Lu Vilha, porque anos 80, né mores.
  • Desancorando, da Maki maravilhosa, o blog que me deu vontade de voltar às origens e reviver o Reticendo.
  • Beyond Cloud Nine, da Emi, uma grata surpresa por ter reencontrado um dos blogs que eu mais curtia acompanhar antes de eu sumir daqui.

Além desses, acompanhei outros blogs também, mas esses são os que eu mais me identifiquei e que foi uma delícia de descobrir (ou redescobrir, em alguns casos). Sou grata por esse mês que passou e o BEDA fez passar muito mais rápido, sério, estou chocada. Faltaram alguns posts, mas meu resultado, para mim, foi mais que positivo. E agora vamos amar o mês mais lindo do ano. SETEMBRO CHEGOU! YAY!

20431177_10155557924597556_19488188861920874_n

 

Sair da rotina faz bem e sou grata por isso

IMG_0199

Eu amo meu trabalho. E isso é algo que eu nunca consegui falar antes. Eu já amei uma empresa em que eu trabalhava, já amei as pessoas que trabalharam comigo e já amei o que eu fazia em outros empregos, mas cada coisa individualmente. Hoje é a primeira vez que posso dizer que amo o conjunto todo. Amo a empresa, as pessoas e principalmente o que eu faço. Mas ainda assim é muito gostoso ter um dia fora da rotina. E eu amo o fato desse emprego me proporcionar isso também.

Hoje tive um dia de trabalho externo, supervisionando uma sessão de fotos para nosso banco de imagens e foi tão incrível que não consigo expressar. Nosso casting foi lindo, o fotógrafo bom demais e a equipe inteira um amor. Passar o dia andando pelas ruas de Higienópolis, contemplando o céu de um roof top em plena terça-feira à tarde, interagindo com os passantes na rua e com os sorrisos das poses se tornando verdadeiros a cada comentário engraçado que surgia em meio aos cliques me fizeram muito bem!

Essa sensação de estar trabalhando sem parecer que é trabalho. De sentir o amor pelo que se faz mesmo com o stress, com os nervosos e pedras que surgem no caminho, tudo isso vale à pena quando vejo o trabalho concluído e o sucesso evidente. Meus pés estão doendo, mas aquela dor gostosa de dever cumprido. Eu saí da rotina hoje, não foi uma folga, um dia de pés para o ar nem nada disso. Foi, na verdade, muito mais trabalhoso e cansativo que meus dias no escritório, mas me fez tão bem que só posso agradecer pela chance de poder viver momentos assim. Cada momento conta. E  ser grata por todos eles conta ainda mais.

20431177_10155557924597556_19488188861920874_n