Não pensa, só vai

E eu fui! Finalmente criei coragem e dei o ponta pé inicial em uma das minhas 101 coisas para fazer em 1001 dias! E esse item acaba complementando vários outros, o que me deixa mais empolgada ainda.

Há alguns anos luto contra a balança e nunca vou muito longe nos meus projetos fitness. Esse ano decidi que seria diferente, por um bom tempo estudei sobre a alimentação Low Carb (ainda vai ter post aqui falando sobre, prometo!) e iniciei por esse caminho. Foram três meses regrados e com ótimos resultados.

Durante esses período, fiz atividades físicas por um mês e estava me fazendo muito bem. Um grupo de amigas fitness, que conheci participando de desafios do Instagram com pessoas na mesma trajetória, me ajudava muito. Na verdade, todas nos ajudamos mutuamente, e era a maior motivação que tinha naqueles dias, além dos desafios pessoais que eu mesma me impunha para sentir que tinha um objetivo próximo para alcançar.

Acontece que quase na mesma época, todas nós demos uma bobeada com relação às rotinas e alimentação e o negócio descambou. Voltei a me sentir mal comigo mesma, larguei a academia e foi a bola de neve de sempre. Com minha lista, meu aniversário e a vontade de retomar minha vida mais saudável, livre de industrializados, com comida de verdade e uma sensação maravilhosa de dever cumprido a vontade retornou e sem pensar muito (aprendi com a amiga, não pensa: só vai!) acordei mais cedo ontem, coloquei a roupa e fui para a academia antes do trabalho.

Matrícula renovada, força de vontade e o apoio das meninas, que também despertaram e voltaram ao nosso tão amado foco, i’m back to the game! Feliz de novo, com um plano certo para seguir e, com certeza, realizar. Sempre falo “agora vai!”. Mas dessa vez eu sinto que já foi! Está muito claro para mim o que preciso fazer e o tamanho da satisfação que isso vai me trazer. Então agora é assim, não, só levanto e vou. Faço as escolhas alimentares certas, tomo meu chá, minha água e meu café e durmo sem peso na consciência (e um pouco menos na balança).

the-beginning-is-the-hardest-spotebi

Quero chegar ao ponto de poder manter o equilíbrio na minha vida sem descambar. Passamos três meses indo bem e emagrecendo e achamos que já podemos abrir algumas exceções pesadas, mas o resultado sempre chega e nunca gostamos dele. Quero viver bem comigo e com tudo em minha vida. Com o trabalho, minha saúde, minha alimentação, as pessoas que amo. E para isso, preciso estar de bem comigo mesma. É o ponto principal de tudo.

Se você está nesse exato momento procrastinando o começo de uma mudança importante em sua vida, segue esse conselho. Não espera o dia primeiro do mês que vem, nem a segunda-feira. Não pensa “já errei hoje, então deixa para amanhã.” Começa agora. Eu voltei aos meus hábitos em uma quarta-feira. Não me dei mais cinco dias para errar, aceitei que ontem era um dia tão bom quanto qualquer um. Na verdade, até melhor. A frase é clichê, mas faz sentido: daqui a um ano, você vai desejar ter começado hoje. Então começa e diminui um pouco sua lista de arrependimentos, transforme-a na sua lista de conquistas!

 

Anúncios

Sair da rotina faz bem e sou grata por isso

IMG_0199

Eu amo meu trabalho. E isso é algo que eu nunca consegui falar antes. Eu já amei uma empresa em que eu trabalhava, já amei as pessoas que trabalharam comigo e já amei o que eu fazia em outros empregos, mas cada coisa individualmente. Hoje é a primeira vez que posso dizer que amo o conjunto todo. Amo a empresa, as pessoas e principalmente o que eu faço. Mas ainda assim é muito gostoso ter um dia fora da rotina. E eu amo o fato desse emprego me proporcionar isso também.

Hoje tive um dia de trabalho externo, supervisionando uma sessão de fotos para nosso banco de imagens e foi tão incrível que não consigo expressar. Nosso casting foi lindo, o fotógrafo bom demais e a equipe inteira um amor. Passar o dia andando pelas ruas de Higienópolis, contemplando o céu de um roof top em plena terça-feira à tarde, interagindo com os passantes na rua e com os sorrisos das poses se tornando verdadeiros a cada comentário engraçado que surgia em meio aos cliques me fizeram muito bem!

Essa sensação de estar trabalhando sem parecer que é trabalho. De sentir o amor pelo que se faz mesmo com o stress, com os nervosos e pedras que surgem no caminho, tudo isso vale à pena quando vejo o trabalho concluído e o sucesso evidente. Meus pés estão doendo, mas aquela dor gostosa de dever cumprido. Eu saí da rotina hoje, não foi uma folga, um dia de pés para o ar nem nada disso. Foi, na verdade, muito mais trabalhoso e cansativo que meus dias no escritório, mas me fez tão bem que só posso agradecer pela chance de poder viver momentos assim. Cada momento conta. E  ser grata por todos eles conta ainda mais.

20431177_10155557924597556_19488188861920874_n

O poder de unhas bem feitas

Ou como coisas pequenas levantam nossa auto estima e nos dão vontade de mudar.

Sabe aquela velha história de “cortou o cabelo porque quer mudar a vida”? Eu posso dizer que me vejo muito nessa referência, porque tem coisas que faço por mim na intenção de mudar o mundo à minha volta, mas que na verdade só mudam minha perspectiva desse mundo.

Quando não dá pra ser tão radical e mudar o cabelo todo, utilizo coisas menores que sei que vão me fazer tão bem quanto. Deixo meu quarto arrumado, faço as sobrancelhas, depilo a perna. O tal do self-care, que vem sido tão propagado nos últimos tempos (graças a Deus!) e que tem que ser cada vez mais, porque o bem que cuidar de nós mesmos faz não dá pra explicar. Mas é real.

Venho ensaiando um retorno à minha vida saudável há um bom tempo. Para resumir: desde novembro passado tenho intercalado meses super focada e bem comigo mesma com meses desastrosos em que retrocedo em metade das minhas conquistas. Há anos luto com a balança e ano passado o peso deixou de ser o motivo principal para essa luta e a saúde ganhou a dianteira.

Com vinte e quatro anos estava com pré diabetes e um pé na obesidade. Vi minha família lutar com esse problema por minha vida toda e não queria fazer mal ao meu corpo, meu bem mais precioso. Conheci a low carb nesse meio tempo e me apaixonei pela linha, pela simplicidade e por todos os estudos que mostram os danos do carboidrato (glicose) em nosso corpo, cérebro, bem-estar. Enfim, descobri que uma das coisas que eu mais consumia e gostava estava me matando lentamente. E quero ser bem dramática sim, porque é preciso criar alguns alarmes para coisas que nos fazem tão mal dessa forma.

Anyway, mesmo sabendo de tudo isso, tendo o conhecimento do mal que estou me fazendo, tem sido muito difícil recuperar meu foco e fazer tudo que preciso pelo meu bem-estar físico e mental. E aí comecei a procurar formas de me motivar a voltar para essa vida. Decidi colocar tudo no papel, que é a forma mais clara para mim de colocar qualquer projeto em prática e já estava me preparando para fazer isso nesse final de domingo. Então, mais cedo, enquanto meu namorado dormia antes da hora de ir embora, resolvi pintar as unhas para me sentir um pouco melhor comigo mesma. Foi a melhor decisão que tomei hoje.

27-08-17

Unhas feitas após duas semanas em estado deplorável, com um tom lindo de café, que considero minha cara, me deram o gás que precisava para entender como é bom fazer coisas boas por mim! E a vontade de fazer tudo que eu mereço para me ver feliz, saudável e realizada voltou com tudo. Sabe o “clique” que disse que tenho às vezes, como quando esse blog renasceu? Senti a mesma empolgação para fazer com que dessa vez dê certo.

Amanhã volto à academia, meu plano alimentar está bonitinho num arquivo no meu pen drive. Fiz um calendário que vou preencher com os dias que cumpri tudo da forma certa, defini metas, estratégias, coisas que desejo evitar (refrigerante e açúcar, por exemplo) e colei na porta do meu armário, para olhar todos os dias e ver minha evolução. Já arrumei a mochila, para não dar desculpas e, de quebra, arrumei os looks da semana também. E, gente, a lua nem está em virgem. Tá em escorpião, fui conferir após esse surto de organização e comprometimento.

Estou feliz com as decisões que tomei hoje, pelos planos traçados. Agora depende apenas de mim, como sempre dependeu, mas estou com gás para ver esse meu desejo de tantos anos virar realidade. E quando fazemos as coisas do modo certo, os resultados vêm. Quando cuidamos de nós mesmos, a realização pessoal é a consequência. Minhas unhas estão lindas e a vontade de fazer com que tudo em minha vida fique lindo também está maior que nunca. Quem tá precisando de motivação pra tirar um plano do papel? Vem comigo, vem acompanhar meus próximos 42 dias, a “fase 01” do meu projeto. E prometo que assim que tudo começar a dar certo, venho contar como fiz acontecer.

20431177_10155557924597556_19488188861920874_n

18 dias 22

Dezoito vezes que disse parabéns, que tive uma desculpa pra fazer o que eu amo fazer mesmo quando não há nenhuma. Dezoito motivos pra demonstrar a importância que você tem na minha vida e toda a felicidade que traz pra ela.

Há exatos dezoito meses o primeiro beijo deu forma a um amor que já estava sendo cultivado, que já era antes mesmo de ser. E consigo lembrar até hoje do frio que senti na barriga naquele primeiro dia vinte e dois.

Tantos números pra tentar contar nossa história, sendo que ela não cabe em números, em datas, em tempo. Pelo menos não esse tempo. Talvez em outros a intensidade desse amor faça mais sentido. Porque quando penso nesses últimos dezoito meses me pergunto se ao invés de um ano e meio não faz uma vida inteira que estou ao seu lado.

São dezoito dias vinte e dois, nem em todos conseguimos estar juntos, como hoje, mas até a distância parece nos unir. Aquela música que diz que o universo conspira a nosso favor, a consequência do destino é o amor não poderia fazer mais sentido do que faz pra mim. Pra nós.

E falando nessa música, pra sempre vou te amar. Por todos os dias vinte e dois que vierem.

20431177_10155557924597556_19488188861920874_n

Um post sobre os posts que não foram postados

Ou: como uma blogueira sente o peso na consciência quando fura um dia de BEDA.

Estou aqui procurando formas de me desculpar por ter perdido mais dois dias de BEDA, depois de uma sequência tão linda na semana passada. eu já sabia o que iria postar no domingo, mas fins de semana que não fico em casa são um tanto quanto imprevisíveis e não consegui o tempo que achei que teria para fazer o post.

Era pra ter sido a TAG linda das 50 perguntas sobre Harry Potter e ontem eu ainda não sabia qual seria o post, mas estava no plano ter post, só que não teve também. E hoje, só de raiva, teremos dois, porque tem algo muito especial que eu já estava pensando sobre escrever desde o dia que o Reticendo nasceu. E tem que ser hoje!

Vim mais para dar explicações porque sou dessas. Agora rezem por mim, porque se sumi do blog, imagina do Feedly, então? Hoje preciso ir cedo pra casa pra descansar. E isso também tem a ver com o fato de não ter conseguido cumprir com minhas obrigações blogueiristícas. Tenho um job para finalizar até semana que vem e fiquei até altas horas dessa madrugada brincando de diagramadora inclusive quem quiser meus serviços dá um grito. Brincadeiras à parte, achei mesmo que conseguiria vir atualizar o blog, mas fui me envolvendo no que estava fazendo e quando vi, pá! 03 da matina. Resolvi dormir as três horas de sono que eu ainda podia antes de vir pro trabalho oficial.

giphy

Tudo isso pra que? Pra dizer que hoje eu preciso descansar mesmo, mas que quero fazer isso com uma garrafa de chá mate com limão do meu lado e o notebook no colo, para ler tudo que perdi por esses dias e colocar os comentários em dia. Sou dessas que sentem saudade, fazer o quê.

20431177_10155557924597556_19488188861920874_n

Uma paixão desconhecida e avassaladora

Até determinado ponto da minha vida, o máximo de série que eu tentava acompanhar com certa regularidade era Supernatural, com várias idas e vindas, mas era a que eu fazia questão de ter assistido desde o primeiro episódio e nunca ter parado ~definitivamente~ (como não parei até hoje, mas tenho uma temporada inteira pra alcançar a season atual, socorro) E aí em uma noite de férias coletivas sem nada pra fazer, após três comédias românticas seguidas no Netflix pedi ajuda prazamiga e recebi um coro de “veja Grey’s Anatomy”. Então eu comecei.

Olá, meu nome é Bruna e faz um ano e meio que sou fã de Grey’s Anatomy. Já fiquei mais de 20 horas seguidas deitada no meu quarto maratonando a série, com interrupções regulares da minha vó querendo saber se eu estava viva. De verdade, não sei explicar o que me prendeu tanto, desde o começo, mas é a mistura de tantas vidas com histórias complexas e que eu precisava conhecer mais com o carinho que sempre nutri por séries médicas e um pouco de morbidez também, eu acho.

Antes de cogitar assistir, conheci muitas pessoas que já acompanhavam a vida dos residentes do Seattle Grace Hospital, que falavam que a série era linda, emocionante, cheia de reviravoltas e reflexões e eu só pensava “what the hell?” Pra mim era uma série de hospital. Ponto. Mesmo curtindo a temática, não conseguia entender como ela podia ser tudo isso que diziam ser. Só que ela é. E é ainda mais.

Eu lembro de E.R. que assistia com minha avó quando era mais nova e que também achava legal, mas não tinha tanto amor envolvido, definitivamente. E é batata, se alguém me pede uma indicação, é a D. Meredite que eu indico. E, mais uma vez, batata! Já coloquei a vó, a melhor amiga e uns conhecidos pingados por aí nessa loucura. Confesso que demorei para chegar na temporada atual, o que, de certa forma, é bom, porque agora estou na sofrência pesada esperando a estreia da próxima season, mas já estou com vontade de assistir tudo de novo.

Legal, Bruna, valeu pela informação, mas por que diabos você precisou falar disso? Boa pergunta, minha amiga. Porque tô em abstinência. Porque tô com saudade dos meus amorzinhos, do Karev sendo lindo, da Meredith sofrendo, da Amy sendo musa e do Dr. Webber sendo incrível. Falta um pouco mais de um mês para eles voltarem, estou me distraindo com algumas séries no meio do caminho (inclusive algumas que também vou ter que esperar pelo retorno nos próximos meses), mas já tá naquela hora em que preciso assistir Grey’s Anatomy para esquentar o coração e quis dividir esse amor com vocês, já que deu pra perceber que, pra mim, indicar Grey’s nunca é demais.

giphy

 

20431177_10155557924597556_19488188861920874_n

Sobre as 642 coisas sobre as quais escrever

post-13

Estava eu ontem dando mais um rolê pela blogosfera quando me perdi de link em link e cheguei ao Suspirare, por causa de uma tag maravilinda sobre Harry Potter (que, inclusive, pretendo responder aqui durante esse período de BEDA). Enfim, gostei do blog e comecei a brincar mais um pouco de link em link. E cheguei em posts interessante sobre algo chamado 642 coisas sobre as quais escrever.

Eu sou a louca dos projetos, muitas vezes me arrependendo de começa-los por não conseguir terminar nenhum, mas é mais forte do que eu, vejo uma lista de coisas a fazer e já quero saber tudo sobre! Então joguei no Google, no Facebook, achei um Tumblr e cheguei em uma lista com 300 itens. Ainda estou me perguntando onde estão os 342 que faltam, mas vamos com calma, eu chego lá.

O legal mesmo foi entender que não é um desafio, é mais como um arquivo de referência rápida, com vários itens MUITO legais para serem desenvolvidos conforme a vontade/necessidade. Eu não li a lista inteira, mas quem se interessar também, pode ver aqui, mas acho que não é só pra gerar inspiração que ela serve.

Imagino que ela funcione como um apoio para desenvolvermos nossa escrita, porque é bem legal escrever sobre algo que nos estimula, uma experiência que vivemos. São coisas que já sabemos como falar, como abordar, mas essa lista parece aquela aula de português em que a professora falava “hoje é dia de praticarmos redação”, colocava uma um tema na lousa (às vezes uma palavra, às vezes uma frase para ser continuada ou um assunto que estivesse em alta na época) e aí era você com o lápis, o papel e sua imaginação.

De qualquer forma, não deixa de ser um desafio. Como nas 30 coisas que quero fazer antes dos 30 coloquei manter esse blog pelos próximos 5 anos, acho que vou ter bastante tempo para entregar essa lista, não é mesmo?

20431177_10155557924597556_19488188861920874_n