Playlist #04 | Quando bate a bad

02-09-2017

Todo mundo tem alguns dias meia boca, em que só queremos ouvir aquelas músicas melancólicas que teriam tudo para nos deixar ainda mais tristes, mas acabam sendo o que consegue aquecer nossos corações.

Como fã de Grey’s Anatomy, gosto muito ouvir uma playlist que criei com a soundtrack da série, porque melancolia a gente vê bastante por lá, mas tem várias outras músicas que eu gosto e acho que combinam muito com esses dias cinzentos que vivemos de vez em quando.

A música entra na alma e consegue expressar sentimentos que não sabemos como colocar pra fora apenas com sua melodia, sem nem precisar da letra. Nessa playlist separei um pouco das duas coisas, letras e músicas que combinam com esse mood e que serão ótimas companhias para curtir a bad de uma forma mais aconchegante.

Do mesmo jeito que ela chega, ela vai embora. Vamos aproveitar esses momentos para nos conhecermos e entendermos melhor, respeitando e curtindo esse tempo nosso com nós mesmos. Espero que gostem.

 

Anúncios

Playlist #03 | Minhas favoritas dos anos 80

26-08-17

Sábado é dia de que? De playlist! Porque amei essa ideia e porque tenho muita coisa pra compartilhar, dentre minhas músicas preferidas e mais escutadas para diversas ocasiões. Vamos passar de rock pauleira até Mc Kevinho (sim, real) e vai ser muito gostoso falar sobre tudo isso e o que algumas dessas músicas representam para mim!

Hoje vou mostrar uma playlist que acho que faz muito sentido, já que não paro de falar o quanto eu amo/sou os anos 80. Nela eu coloquei as músicas que eu mais gosto de ouvir da década, já aviso a maioria esmagadora é de love songs, daquelas bem clássicas e vão de Dirty Dancing a Phil Collins. Acho que mesmo sendo bastante parcial com uma playlist que eu mesma criei, posso dizer que quem clicar para ouvir não vai se arrepender!

Me contem o que acharam da playlist e, principalmente, se adicionariam algo mais à ela que com certeza eu aceito ideias para tornar a lista mais completa e cheia dos sucessos que marcaram época e nos acompanham até hoje 🙂

 

 

20431177_10155557924597556_19488188861920874_n

Playlist #02 | TOP 10: Músicas mais escutadas da vida

Ontem tive a ideia, depois de ler um post semanal de playlist, de fazer a mesma coisa por aqui! Já que eu amo música e só preciso de uma desculpa para fazer listas, achei a desculpa perfeita, rs. Está inaugurada, então, a playlist semanal do Reticendo! Se perdeu a primeira, pode conferir aqui 🙂

Estava pensando esses dias sobre músicas que eu já ouvi muito, não que necessariamente sejam as minhas preferidas, mas que eu sei que já ouvi demais durante algumas fases da minha vida e que ainda ouço hoje em dia. São aquelas que marcaram momentos e épocas e que eu não tive maturidade para entender o que seria um limite saudável para escutá-las. Então as escuto no repeat até hoje e tenho uma forte intuição de sempre será assim.

Para essa playlist escolhi 10 músicas que eu tenho certeza que estão entre as mais escutadas por mim, vocês vão perceber que elas não tem muito em comum uma com a outras, a não ser o fato de sempre melhorarem meu dia e me proporcionarem aquele abraço aconchegante que certas músicas nos proporcionam. Ah! Queria deixar claro que a ordem das músicas não tem nada a ver com a ordem de relevância delas para mim. Vamos lá?

post-16

#01 Forever Young: Let us die young or let us live forever” tem como não se arrepiar? Para mim, essa é uma das músicas mais bonitas que existem! Já viram a letra? Se não, por favor, façam isso agora. Ouço no repeat eternamente se for preciso, gosto muito quando estou no carro com meu pai e começa a tocar e ele deixa tocar inteira porque sabe que é uma das músicas que mais gosto na vida.

#02 Jesus of Suburbia: Green Day, sim! Sou apaixonada por essa música, quando era mais nova e queria fingir que era rockeira rebelde, pensava em tatuar “and I live behind this hurricane of fucking lies“, só porque achava uma frase incrivelmente foda. Na real que ainda acho. Vai falar que não é? São 09 minutos de música que faço questão ouvir inteira sempre que começa a tocar. E se sou interrompida, volto do começo. Ouvi muito durante a adolescência e tive o prazer de poder ouvi-la ao vivo, chorando de emoção. E em menos de 03 meses viverei esse momento novamente!

#03 Suddenly I See: Essa apareceu na primeira playlist do blog, mas como contei lá, ouço sempre que quero começar o dia me sentindo a mulher mais incrível e poderosa do mundo, então escuto bastante aloka. “Her face is a map of the world, a map of the world. You can see she’s a beautiful girl“. Fala se não é pra começar o dia maravilhosamente bem ouvindo isso?

#04 2.000 Light Years Away: Mais uma do Green Day, uma das minhas preferidas da banda e que eu escuto incansavelmente. Ela está no segundo CD deles, não é das mais conhecidas no mainstream, mas entre os fãs ela é bem queiridinha. E sei que se ouvirem uma vez, vão querer ouvir mais também!

#05 Só Por Uma Noite: Vai achando que é só de música internacional que eu vivo. E Charlie Brown Jr. não tem como ficar de fora, marcou minha vida demais e essa á a música deles que eu mais escuto até hoje.

#06 Total Eclipse Of The Heart: Anos 80. Clipe ruim. Delícia de cantar no chuveiro. Boa pra sofrer. Tinha como não escutar incansavelmente? Não sei pra vocês, mas pra mim não tinha não. É bom demais berrar ao som de “turn around, bright eyes“! E para quem está por fora, Bonnie Tyler vai cantar a música durante o eclipse vai acontecer dia 21/08. É incrível demais!

#07 Kiss Me: Sixpence None The Richer. Se me perguntarem se conheço mais músicas deles terei que informar que, infelizmente, não. Mas desde que escutei a música na trilha sonora de Como Perder Um Homem Em Dez Dias amei a música e escuto sempre, o tempo todo, sem parar 🙂

#08 I Don’t Want To Miss A Thing: Cara, essa é clássica, né? Aerosmith é amor, tive a época de ouvir Jane’s Got A Gun sem parar também, mas ainda assim não superou tudo que vem por trás da trilha do Armageddon. Escutei muito e escutarei ainda mais pelo resto da minha vida. E vou me emocionar a cada vez que cantar junto “I don’t wanna close my eyes, I don’t wanna fall asleep ‘cause I miss you, baby, and I don’t want to miss a thing”.

#09 More Than Words: A balada única do Extreme me pegou de jeito alguns anos atrás, quando nem tinha entrado direito na adolescência ainda e gostava de escutar com minha tia, que me ensinou a cantar e passou a tradução para mim. Acho que gostei mais pela facilidade de entender o que ele dizia na música, mas virou meu xodozinho!

#10 Your Love: I DON’T WANNA LOSE YOUR LOVE TONIIIIIIGHT“, essa música me dá vontade sair gritando, cantando e dirigindo loucamente por uma estrada no meio da noite. Ainda realizarei esse sonho. Mas é surreal o fogo no cu a empolgação que tenho ao escutá-la. Sempre melhora meu dia e sempre me dá vontade de ouvir again and again.

Agora me conta, por favor, quais são as suas músicas mais escutas, mesmo que não sejam 10. Tô curiosa pra saber se alguém partilha das mesmas que eu!

20431177_10155557924597556_19488188861920874_n

Playlist #01 | TOP 5: Girly Songs

Como introduzi no último post, sou completamente ligada e movida a música. Nasci no começo dos anos 90 e sofro todos os dias por isso, meu sonho era ter vivido os fucking amazing 80’s e a maior parte das músicas que escuto são dessa década, principalmente as cantoras incríveis que fizeram tanto sucesso.

Inspirada por elas, decidi dedicar o primeiro Top 5 do blog a uma das minhas playlists favoritas, a das Girly Songs 🙂 Já aviso que não tem apenas cantoras dos anos 80 na seleção e na playlist que criei no Spotify, inclusive tem músicas que não são interpretadas por mulheres, mas que considero de “menininha”, como por exemplo Closing Time, do Semisonic (parte da trilha sonora do filme Amizade Colorida, merecia estar aqui, né?) Vamos ao que interessa?

11-08-17

Cindy Lauper: Cara, tenho um amor gigante pelas músicas dela. Ela é tudo que eu vejo como anos 80. Os looks, a paixão, a voz deliciosa. E, claro, dona de um dos hits mais tocados nas baladas flashback da vida. Se eu tivesse que escolher como seria a Bruna 80’s version, seria essa mulher!

  • Mais escutadas: Girls Just Wanna Have Fun, True Colors, Time After Time

Madonna: Preciso dar alguma explicação? Ícone de todas as décadas até hoje, Diva Queen. Mas, para mim, as músicas mais recentes dela não transmitem o mesmo sentimento que as músicas raiz. Afinal de contas, nada se compara a gritas “I’M CRAZY FOR YOOOU”

  • Mais escutadas: Like a Virgin, Like a Prayer, Crazy For You

Pink: Entramos nos anos 2000 aqui. Se eu tivesse que dizer que tenho uma cantora preferida, muito provavelmente diria que é a Pink. Enxergo uma força nela e me sinto tão próxima das letras que ela escreve, é uma coisa que não sie explicar. Ela é humana, entendem? Tem músicas que expressam raiva, desilusão, diversão, amor, paixão, letras divertidas, engraçadas. Ela me transmite verdade em tudo que canta, fora a voz fenomenal. E não conseguiria dizer quais são as músicas dela mais escutadas por mim, vou colocar algumas menções honrosas, digamos assim, pois várias músicas já fizeram sentido para mim em diversos momentos diferentes da minha vida.

  • Mais escutadas: Who Knew, Don’t Let Me Get Me, Fucking Perfect, Just Give Me a Reason

Shania Twain: Ela é mais um exemplo que ultrapassou as décadas e esteve sempre presente nas minhas playlists ao longo da vida. As músicas dela foram desde baladas lindas até o hino (para mim, pelo menos) Man! I Feel Like Woman, que foi tema de novela e de várias danças escolares com tema Country. Eu admito que sou muito fã do estilo country americano e sempre gostei dessa música, alguns anos mais tarde apenas que liguei a pessoa à música e que fui lembrar das baladinhas.

  • Mais escutadas: Man! I Feel Like A Woman, You’re Still The One

KT Tunstall: Meu amor por essa mulher surgiu quando assisti O Diabo Veste Prada. A música encaixou tão bem no começo do filme que, até hoje, quando quero começar o dia bem e me sentir poderosa, saio de casa ouvindo Suddenly I See no Spotify no repeat. Parece que até o sol sai, rs. Sei que é tudo questão do meu psicológico, mas realmente faz diferença começar o dia assim! Foi tudo uma mistura por ser apaixonada pela Anne Hathaway, pela música ser uma delícia de ouvir e pelo filme ser simplesmente perfeito. Bom, depois disso tudo, acabei conhecendo mais músicas da KT, que também tem um estilo mais para o country. Quem não conhece, vale muito a pena, na minha playlist tem mais músicas dela.

  • Mais escutadas: Suddenly I See

Agora, como toda pessoa apaixonada por música, quero indicações. Me contem quais são suas Girly Songs preferidas, quero muito conhecer também.

20431177_10155557924597556_19488188861920874_n

A saga do ingresso do Green Day

[ALERTA DE TEXTÃO] Tenho uma família bem musical, digamos assim, minha avó toca piano e acordeon desde criança, meu pai já teve banda – era vocalista – e meu avô tinha uma voz maravilhosa também. Mas, mais do que isso, nos almoços de domingo, que se estendiam por toda a tarde, sempre tinha alguma música tocando, desde Roberto Carlos, passando por Clara Nunes, os pagodes dos anos 90 da minha tia, chegando a Legião Urbana, Raul Seixas, Beatles e Bee Gees. Foi assim que eu cresci.

Não tem nada que me deixe mais nostálgica do que música, do que ouvir algum clássico dos anos 80, aqueles bem Vale a pena ouvir de novo e lembrar das tardes em que minha tia ficava fazendo lição de casa no quarto enquanto eu brincava com alguma coisa no chão. Não tem como ouvir uma música do Bon Jovi sem pensar nas vezes que fiquei ao lado do meu pai segurando os discos dele de vinil e tentando aprender inglês com os encartes.

Acho que foi inevitável crescer com essa paixão. Eu queria ter uma banda para chamar de minha. Para amar. Para ser fã incondicional há anos e poder relacionar cada fase da minha vida a uma música dela. E em 2005 essa banda chegou. Sei que ainda farei muitos posts sobre eles aqui, então nem vou me estender nesse tópico por hora, vou pular os doze anos de história em que o Green Day me acompanha e contar sobre o que tenho vivido de expectativa nos últimos meses.

Eles vêm ao Brasil esse ano, para completar a turnê do último lançamento deles, a Revolution Radio Tour. E só quem tem a mesma paixão que eu tenho  por música e por algum artista pode entender o que isso significa. Principalmente no caso de bandas que levam tantos anos para voltarem ao país (no caso do Green Day, 7 anos e sim, eu estava lá em 2010 também). Conheço muita gente que não entende a ansiedade, o nervoso e todo o misto de sensações que um evento como esse causa em mim, mas sei que muita gente vai se identificar, no fim das contas.

Depois de meses de espera desde que, após muitas especulações, eles anunciaram extra-oficialmente que fariam uma turnê sul-americana, finalmente surge uma data. 03 de novembro. E, com essa data, surge mais uma: a da abertura das vendas de ingressos para o show: 23 de junho. Na mesma semana do anúncio oficial. Desde 2010 eu já dizia, para quem quisesse ouvir, que na próxima vinda da banda ao Brasil eu iria assistir no melhor lugar que estivesse à venda, lugar esse que também é conhecido por onde eles arrancam os olhos da cara e os dois rins de fãs desesperados como eu pista premium.

Eu nunca tinha passado pela experiência de esperar dar meia-noite para comprar um ingresso na pré-venda. Nunca imaginei que fosse tão difícil, também. Mas, amigos, que loucura que é viver isso! Quinta-feira, 22 de junho e eu online, meu namorado online, azamiga online e eu me tremendo toda na frente do notebook. Revi as fotos do show de 2010, peguei os ingressos que tenho guardados, minha coleção de CD, a camiseta que usei no show e fui para a guerra. Literalmente. Pouco antes da meia-noite, eles liberam uma fila de espera e, de verdade, não imaginei que teria tanta gente online ao mesmo tempo. Começou a bater um leve desespero, mas fiquei lá, firme e forte.

Meia-noite, a fila começa a andar. Meu namorado consegue acessar o site antes de mim, a adrenalina a mil e alguns segundos depois, meu acesso é liberado também. Decidimos que eu faria a compra pelo meu cadastro mesmo. Escolho o setor, meia entrada, confirmo os dados, tela de pagamento e POW: INGRESSOS ESGOTADOS. Em. Seis. Minutos. A única coisa que soube fazer foi chorar, muito, de verdade. E ser consolada por ele e pelazamiga, que falaram que quando abrisse a venda regular me ajudariam novamente. Foram alguns minutos de muito desespero, acordei a família toda, liguei pro meu namorado, chorei mais um pouco, conversei com minha madrasta que também tentou me tranquilizar e tentei respirar.

E aí, a mágica aconteceu. Ainda não tinha fechado a página de compra, porque se fizesse isso, perderia meu lugar na fila, mas estava quase fechando quando resolvi atualizar a página mais uma vez, já que a esperança é a última que morre. E os ingressos haviam voltado para compra. Até hoje não tenho certeza do que aconteceu, só sei que, graças a Deus, meu anjo da guarda e todos os santos para os quais rezei naqueles primeiros minutos do dia 23 de junho, eu consegui finalizar minha compra. Finalmente podia gritar pro mundo todo que eu iria assistir minha banda preferida mais uma vez!

Depois disso, o que me restava era esperar os longos 30 dias úteis do prazo de entrega até ter meu ingresso em mãos. Acontece que a vida é uma caixinha de surpresas o prazo acabou dia 04/08 e até aquele momento, nada dos meus ingressos chegarem. Bateu desespero de novo? Sim, senhor! E na segunda-feira, dia 07/08 todo mundo que eu conheço que também tinha comprado os ingressos na pré-venda já estava recebendo os ditos cujos, menos eu. Vou ver o rastreio e, tchã rã: DEVOLVIDO. Quem ficou sem entender nada? Sim, eu mesma de novo.

Só conseguia pensar em um motivo: inferno astral. Terça-feira e nada. Quarta-feira: minha amiga que comprou dois dias depois de mim recebe e eu, nada. Apelei mesmo e fui pro ReclameAqui, porque a empresa não sabia responder o motivo da devolução e a transportadora dizia que o erro era da empresa. E hoje, finalmente, meu rastreio mudou para “em trânsito”. Já queria pular no meio do escritório, mesmo sem nem saber se realmente chegaria hoje. Duas horas atrás, mensagem da minha avó: “filha, chegou”. E o que eu deveria estar fazendo nesse momento? Indo pra casa correndo para pegar meu bebê nas mãos, mas ainda tô aqui, escrevendo esse post para deixar registrado tudo que passei para reviver esse momento. E pra lembrar que valeu a pena.

20431177_10155557924597556_19488188861920874_n